Uma singela homenagem de 3 jovens súditos brasileiros ao Monarca da Música Latina.

domingo, 11 de dezembro de 2011

"Uma Casa De Portas Abertas": As Casas Em Que Roberto Carlos Morou

-

Está matéria contém:

  • "Uma Casa De Portas Abertas": As Casas Em Que Roberto Carlos Morou
  • Rio de Janeiro: Roberto Carlos na cidade maravilhosa!
  • Roberto Carlos vai à igreja Santa Luzia, no centro do Rio.
Foto: RC mansão em que morava nos anos 70, no Morumbi. Arquivo Blog RCB

Olá Súditos!

Hoje, cá estamos, de volta, para dar continuidade ao Blog Roberto Carlos Braga. Como já é do conhecimento de vocês, estamos promovendo, durante o ano de 2011, o Projeto 70 Anos De Emoções, que tem por objetivo relembrar a vida pessoal de Roberto Carlos, com o respeito à privacidade de nosso cantor, em comemoração aos seus 70 anos de idade, comemorados este ano.

Já falamos de tudo por aqui... A cidade natal, Cachoeiro, foi tema de 5 matérias. O amigo Erasmo Carlos, a maninha Wanderléa, os irmãos e os pais do Rei, os carros de sua majestade e também seus amores. Muito de sua vida pessoal foi abordado aqui este ano. E hoje, dando continuidade ao lindo projeto, que vai se aproximando do fim, trazemos mais uma matéria inédita.

Por conta de problemas com o planejamento do blog, que teve que ser desfeito em várias ocasiões, tivemos que excluir matérias. Havia 3 matérias que deveriam ser publicadas em novembro/dezembro. Contudo, por causa dos já citados problemas, tivemos que optar por apenas uma. Diante de tamanha dúvida, decidimos perguntar a quem realmente "manda" nesse blog: vocês! Os súditos internautas.

As opções de publicação eram:
• "Uma casa de portas abertas": Curiosidades sobre todas as casas em que Roberto Carlos morou
• Axaxá, o "cachorro que sorria latindo"
• "Comandante do seu coração": Os iates que Roberto Carlos já teve.

Fizemos uma enquete, e pedimos a opinião do público. A matéria vencedora seria publicada em dezembro, e as outras duas, em 2012. Com surpreendentes 81,6% dos votos, a matéria escolhida foi a primeira: curiosidades sobre todas as casas em que Roberto Carlos morou. E esse vai ser nosso tema de hoje, escolhido por vocês. Tenham todos uma boa leitura!

• As casas de Roberto Carlos
Roberto Carlos, ao longo de sua vida, morou em diversos lugares diferentes. Fizemos uma lista de todas as suas casas, e vamos falar, aqui, um pouco sobre cada uma delas. É importante frisar que, devido à sua profissão, artista, Roberto nunca passou muito tempo em casa. Ele sempre viajou muito, e sempre trabalhou muito. Mas sempre que precisava de um cantinho "seu", era pra lá que ele corria... Vamos ver onde Roberto já morou...

• Casa em Cachoeiro de Itapemirim (ES) - Rua João de Deus Madureira (Rua Índio Crenaques)
• Casa da Tia Jovina Moreira - Niterói (RJ)
• Sobrado em Lins de Vasconcelos - Rua Pelotas (RJ)
• Apartamento na rua Gomes Freire - centro do RJ
• Elegante apartamento na Rua Albuquerque Lins - SP
• Mansão no Morumbi - SP
• Av. Portugal - Urca - Rio de Janeiro

• Naquela casa simples... - Casa em Cachoeiro de Itapemirim (ES)
A primeira casa em que Roberto Carlos morou foi em Cachoeiro de Itapemirim-ES, sua cidade natal. Roberto nasceu naquela casa, situada na Rua Índio Crenaques (hoje em dia, Rua João de Deus Madureira), em 1941, e residiu ali até sua saída de Cachoeiro para o Rio de Janeiro, em 1956. (Foto: A casa onde RC morou na infância, atualmente)

A casa de Cachoeiro, como não poderia deixar de ser, marcou muito Roberto Carlos. Ali, ele viveu alguns dos momentos mais marcantes de sua vida, toda a sua infância. Era ali que Roberto cantava atrás da porta, para as visitas que chegavam, as canções do ídolo Bob Nelson. Era ali que o Rei observava os caminhões e os caminhoneiros, que o inspirariam a compor a canção Caminhoneiro, décadas depois.

A casa de Roberto na infância deixou marcas fortíssimas no cantor durante toda a sua vida. Em sua obra, por exemplo, ele citou o primeiro lar várias vezes. Em Aquela Casa Simples, canção de 1986, o Rei relembra uma conversa que teve com a mãe, antes de partir para o Rio de Janeiro, naquela residência. Em O Divã, Roberto relembra episódios da infância, memórias daquele tempo, que ainda estão presentes no dia de hoje, como ele mesmo deixa claro na canção. Dentre as memórias, inclui-se "a casa com varanda, muitas flores na janela; minha mãe, lá dentro dela."

Em Meu Pequeno Cachoeiro, a referência não é, diretamente, à casa do Rei, já que a canção não foi composta por ele, mas por Raul Sampaio. Entretanto, Roberto fez algumas modificações na letra (relembre), de modo que fizesse referência à sua casa. E o fez: "Recordo a casa onde eu morava, o muro alto, o laranjal... Meu flamboyant na primavera, que bonito que ele era, dando sombra no quintal!"

Hoje, a casa em que Roberto morou durante a infância se transformou na Casa de Cultura Roberto Carlos, e é um museu, um dos principais pontos turísticos de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Roberto esteve na Casa de Cultura em 2009, quando foi fazer um show na cidade. O Blog RCB também já esteve na Casa de Cultura, representado pela repórter Ana Luiza, em 2011. Na foto ao lado, de Rivaldo Gomes, um click da visita do Rei à própria casa, em 2009, numa foto exclusiva do Blog RCB. Os funcionários da Casa nos contaram, com exclusividade, que, durante a visita, Roberto Carlos chorou muito, especialmente quando entrou no quarto em que nasceu. Sem dúvida, muitas emoções.

• Casa da tia Jovina - Niterói (RJ)
Em 1955, Roberto foi passar as férias escolares na casa de uma tia, a Tia Jovina (a Dindinha). Quando voltou, observou que seria melhor se ele fosse morar com a Tia, em Niterói, já que seria mais fácil de tentar conseguir algo na mídia: apresentações em rádio ou até mesmo na TV, que tinha apenas 5 aninhos de idade no Brasil. Roberto ainda não era famoso em outro lugar, apenas em Cachoeiro, que, por ser uma cidade interiorana, não permitia ascensão a Roberto.

Seu Robertino e Dona Laura, os pais do Rei, concordaram com a ideia, desde que o filho continuasse estudando. E Roberto foi. Despediu-se dos amigos da Rádio Cachoeiro, e, em março de 1956, ele mudou-se para Niterói. Mais precisamente, para o Bairro Fonseca. (Foto: Roberto Carlos, na época em que se mudou para o Rio de Janeiro. Arquivo Casa de Cultura Roberto Carlos / Cachoeiro de Itapemirim-ES)

Chegando lá, o filho do seu Robertino foi logo se matriculando em um Colégio, o Colégio Brasil, perto de onde morava sua tia. Ele assistiria às aulas à noite, já que, durante o dia, pretendia percorrer o Rio de Janeiro, em busca de gravadoras e emissoras de rádio e TV. E foi durante a estadia em Niterói que Roberto conheceria dois cantores que influenciariam fortemente seu estilo: Tito Madi e Dolores Duran. Ali surgia o Roberto Carlos romântico.

Nesse tempo em que morou em Niterói, Roberto frequentou várias rádios, procurando qualquer momento possível para se apresentar. Os corredores dos programas de César de Alencar e Paulo Gracindo, por exemplo, já eram bem conhecidos de nosso Rei, que nem sempre era escalado para participar.

Foi também nessa época em Niterói que Roberto teve uma convivência forte com outra tia, a tia Amélia. Tia Amélia morava no Rio de Janeiro, no Bairro da Tijuca, e muitas vezes, era na casa dela que Roberto ficava para dormir, já que, geralmente, era tarde para voltar para Niterói, para a casa da tia Jovina. Dona Amélia Moreira, também irmã de Dona Laura, era muito carinhosa com Roberto, e sempre fazia seus pratos preferidos. 20 anos depois, Roberto dedicaria a ela uma famosa canção: "Minha Tia", que narra justamente esse período, e agradece à tia, por tudo o que ela fez.

Além desses detalhes, há uma outra curiosidade. Quando mudou-se para Niterói, Roberto experimentou uma vida completamente diferente da que tinha em Cachoeiro. Na cidade natal, era rodeado de amigos, e muito popular com as garotas. Já no RJ, Roberto viveu uma solidão intensa, com poucos amigos e namoradas. Ele mesmo diz isso, em uma canção autobiográfica de sua safra, Aquela Casa Simples: "E na cidade grande, tristeza e alegria. Uma saudade imensa e a solidão que eu ainda não conhecia". (Foto: arquivo Blog RCB)

De fato, Roberto não conhecia aquela sensação. Um dos poucos companheiros que tinha era o primo, Alédio Moreira, filho da tia Jovina. Tudo isso, somado aos péssimos resultados com a escola, no ano de 1956, fizeram Roberto pensar em voltar a morar em Cachoeiro. Mas isso não aconteceu, pois Dona Laura tomou a decisão inversa: ela, o marido e os filhos sairiam de Cachoeiro, e iriam morar no Rio de Janeiro, para apoiar Roberto Carlos. E em meados de 1957, a família mudou-se de Cachoeiro, e comprou uma casa própria, no Rio de Janeiro. No Bairro Lins de Vasconcelos. A terceira casa em que Roberto Carlos morou.

• Lins de Vasconcelos - Rio de Janeiro
Com a chegada da família, Roberto foi morar em um sobrado, na Rua Pelotas, Bairro Lins de Vasconcelos. Subúrbio do Rio de Janeiro. Apesar da distância das emissoras de rádio, Roberto se animou bastante com a mudança, já que não era mais preciso ir e voltar de Niterói todos os dias.

Após a mudança, seu Robertino e Dona Laura continuaram com os mesmos ofícios: relojoeiro e costureira. Os irmãos também já tinham remuneração certa no fim do mês, servindo à aeronáutica. Norma, como funcionária de supermercado. E Roberto começou a fazer um curso de datilografia, no Colégio Ultra, na praça da Bandeira, o que, mais tarde, renderia, a ele, um emprego. Roberto Carlos foi trabalhar na Delegacia de Seguros do Ministério da Fazenda, para datilografar ofícios e documentos.

Com uma melhora na carreira, lançamento dos primeiros discos, e primeiros sucessos (principalmente O Calhambeque e Parei Na Contramão) a situação financeira melhorou para a família do Rei, que se mudou mais uma vez, desta vez, para o centro do Rio de Janeiro.

• Apartamento na Rua Gomes Freire
No ano de 1963, Roberto Carlos e sua família foram morar num apartamento, na rua Gomes Freire, no centro do Rio de Janeiro. Ali, uma área mais nobre do Rio, mais elitizado que o Lins de Vasconcelos. (Foto: Rua Gomes Freire hoje. Google Maps)

Roberto passou pouco tempo morando naquele apartamento. Em 1965, ele mudou-se para São Paulo, e, pouco tempo depois, passou a apresentar, na TV Record, o Programa Jovem Guarda. Com o sucesso do programa e da canção "Quero Que Vá Tudo Pro Inferno", a carreira do Rei deu uma guinada, e ele ficou conhecido em todo o país. Com isso, Roberto ficou morando em um elegante apartamento, na Rua Albuquerque Lins (São Paulo). Algum tempo depois, comprou uma mansão no Morumbi.

• Rua Albuquerque Lins (São Paulo)
Roberto Carlos viveu no apartamento da Rua Albuquerque Lins durante os anos de Jovem Guarda: de 1965 a 1968. Quando casou com Nice, foi morar na mansão do Morumbi.

• Mansão no Morumbi - São Paulo
Na mansão do Morumbi, Roberto viveu de 1968, quando se casou com Nice, até 1978, quando se separou. E foi ali que Roberto viveu vários momentos emocionantes de sua vida. Ali que ele vivenciou a infância dos filhos, ali morou o famoso cachorro Axaxá, que "sorria latindo". Ali ele compôs vários clássicos com Erasmo Carlos, como "Detalhes", "Os Seus Botões" e "Café da Manhã", dentre várias outras. (Na foto, do Arquivo do Blog RCB, Roberto, Nice e os filhos estão no quintal da mansão do Morumbi).

Além disso, geralmente havia festa na mansão. Erasmo, Wanderléa, Dercy Gonçalves, Agnaldo Timóteo... todo mundo ia pra casa do Rei. A casa que, inclusive, chocava as pessoas. Um muro de 100 metros, de tijolos vermelhos, e dois portões. A casa ficava numa elevação de cerca de 10 metros acima do nível da rua. Uma rampa de 40 metros levava à garagem, e à porta principal, na parte de trás. Era nessa rampa, inclusive, que ficava Axaxá, esperando seu dono chegar.

(Foto: Arquivo Blog RCB. Família reunida, na mansão do Morumbi)

Quando Roberto Carlos se separou de Nice, em outubro de 1978, saiu de casa, deixando a mansão para a mulher e os filhos. Roberto foi morar em um hotel, o Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Pouco tempo depois, em 1980, comprou um apartamento na Avenida Portugal, na Urca, onde vive até hoje. (Foto: Roberto e família, na sala da mansão, no Morumbi. Arquivo Blog RCB)

Nice também saiu da mansão, pois achava que ela trazia muitas recordações. Ela foi morar com os filhos em um apartamento.

Há cerca de um ano atrás, a mansão de Roberto no Morumbi estava sendo vendida por 3,8 milhões de reais. O Blog RCB tentou entrar em contato com o vendedor, para saber se já havia sido vendida. Entretanto, não tivemos sucesso.

Veja, abaixo, duas fotos da mansão de Roberto Carlos no Morumbi. A primeira delas é de 1971, e foi tirada de fora da casa. Na porta, é possível ver alguns dos carros de Roberto Carlos estacionados. A segunda foto retrata uma parte do quintal, e foi tirada em 2010. Ou seja, retrata como a mansão é atualmente, mesmo sem o dono Roberto Carlos.
• Urca - Rio de Janeiro
Quando Roberto Carlos decidiu comprar um apartamento na Urca, foi amor à primeira vista. Mas a relação de Roberto com o bairro é antiga. Quando ainda morava no Lins de Vasconcelos, Roberto ia pescar na Urca. E a TV Tupi, onde RC se apresentava, no programa de Carlos Imperial, no fim dos anos 50, também era naquele bairro. (Foto: fachada do edifício de Roberto Carlos. Arquivo Blog RCB)

Mas em 1980, quando ele se mudou definitivamente para a Urca, talvez nem ele mesmo pensasse que aquele apartamento seria o local no qual ele moraria por mais tempo: Roberto está na Urca há 31 anos! Mais tempo do que o que viveu em Cachoeiro, mais tempo do que o que passou na mansão do Morumbi, e mais tempo do que em qualquer outro lugar...

Naquele início dos anos 80, Roberto assumiu um relacionamento com Myrian Rios. E a atriz foi morar com ele na Urca. Quando se separam, em 1989, não foi o cantor que deixou a casa, mas a atriz. Até porque, nos anos 90 viria Maria Rita, e ela também foi morar com Roberto na Urca.

A Urca parece ter se adaptado a Roberto Carlos, e não o contrário. Na certa, não havia lugar melhor para o Rei morar. O bairro é extremamente tranquilo, e não é permitido barulho ou prédios muito altos. Além disso, Roberto comprou um apartamento para a mãe, que ficava no andar logo abaixo do seu. O edificio em que o rei mora chama-se Golden Bay (baía de ouro), e fica de frente para a Marina da Glória. É o número 818 da Avenida Portugal. (Veja a fachada, em uma foto de Osmar Carioca, ao lado). Abaixo, Roberto recebe o carinho dos fãs, no dia de seu aniversário de 70 anos. A foto é do arquivo do Blog RCB.
Na mesma Avenida, há a Igreja Nossa Senhora do Brasil (Igrejinha da Urca), na qual Roberto frequenta a missa dominical, e onde são celebradas a maioria das missas da família. E, pra completar, em 1998, o Rei construiu um estúdio, o Estúdio Amigo, que também fica na Urca, mas na Avenida São Sebastião. Tudo isso é extremamente próximo da casa do Rei. A Igreja, por exemplo, pode ser atingida em uma caminhada do apartamento para lá, em poucos minutos. Além disso, pra você ter uma ideia, conta-se que Dona Laura, mãe do Rei, adorava caminhar pelas ruas da Urca, do apartamento até o Estúdio Amigo, onde acompanhava, rezando, as gravações do filho famoso. Ao lado, foto de RC na porta da Igrejinha da Urca, nos anos 90. Abaixo, foto do Estúdio Amigo.

Foto: Arquivo Blog RCB

E assim termina a nossa viagem pelas casas onde Roberto Carlos morou!

Próxima Matéria
No próximo domingo estaremos de volta, com uma matéria sobre os filhos de Roberto Carlos. Esta será nossa última matéria do Projeto RC 70 Anos! Traremos curiosidades inéditas, a exemplo do que fizemos na matéria sobre os irmãos do Rei! Você não pode perder!

Esta matéria pertence ao ProjetoSaiba mais sobre esse projeto, clicando aqui.

Rio de Janeiro: Roberto Carlos na cidade maravilhosa!
Ana Luiza – 11/12/2011 às 7:00
Olá Súditos!

Nos dias 8 e 9 de dezembro, Roberto Carlos deu início à temporada de shows na cidade do Rio de Janeiro! A turnê pela cidade maravilhosa já emocionou milhares de pessoas, e continua ainda nos dias 16 e 17 no Maracanãzinho e dias 20 e 21 no Vivo Rio. E como não poderia deixar de ser, nossa repórter, Ana Luiza Machado, esteve em um dos shows, o do dia 8, no Citibank Hall e nos contará com detalhes como foi mais este momento lindo.

A apresentação estava marcada para as 21h30, porém, um acidente travou o trânsito na cidade carioca, e muitos não conseguiram chegar a tempo no Citibank Hall. Para ajudar os que estavam nessa situação, a produção resolveu adiar o início para as 22h15. Eram 22h40 quando o maestro Eduardo Lages subiu ao palco e deu início ao espetáculo com uma abertura instrumental. Após a abertura, o anúncio mais esperado “Senhoras e senhores, com vocês, Roberto Carlos!!!!”

O Rei foi recebido com muitos aplausos. Colocou a mão no coração, respirou fundo e começou o show com “Emoções”!

“Que prazer rever vocês! Mais uma vez aqui no Rio de Janeiro, no Citibank Hall. Obrigado por este carinho, por todas essas coisas lindas que eu tenho recebido de vocês, desde que nasci né? Sei que isso faz muito tempo, mas o que é que eu vou fazer? (risos) Obrigado por terem vindo, obrigado à Nestlé, por essa parceria maravilhosa, já há alguns anos. Nestlé que faz parte da vida da gente, né? Obrigado à Credicard pela parceria, com o cartão Emoções, que a gente pode comprar todos os produtos da Nestlé e outras coisas mais. Gostaria de dizer muitas outras coisas pra vocês no início deste show, mas todo mundo sabe que meu negócio não é falar, meu negócio é cantar. ‘Tanto tempo longe de você...’ ” E começa “Eu te amo,te amo,te amo"

“Além do Horizonte” foi marcada por vários passos discretos de samba de Roberto Carlos! “Amor Perfeito” e “Cama e Mesa” foram as seguintes! Nesta última, o Rei arrancou suspiros e risos das súditas presentes, que se divertiram com as ‘caras e bocas’ da majestade durante a canção.

Banquinho e violão a postos no palco, é a vez de “Detalhes”, clássico sempre presente nos shows de Roberto Carlos.

Como tem feito nos últimos shows, no verso final da canção “Desabafo”, o Rei canta “Mas sempre acabou em seus braços...” e o público completa: “... na hora que você quer”. E claro... ele se diverte com a cena!

É chegado um momento ainda mais interessante. Antes da banda começar a tocar, Roberto, somente ao som do piano de Wanderley, conta a história do cachorrinho Axaxá, aquele que sorria latindo. E a história foi a deixa para “O portão”.

“Eu já falei de quase tudo nas canções que faço, já falei até do meu cachorro...o Axaxá. Eu quero contar pra vocês uma história absolutamente verdadeira sobre o Axaxá. Quando eu tinha 6 anos de idade, mais ou menos, eu ganhei um livro de histórias, histórias infantis com certeza, que se chamava ‘A história do Axaxá’. O Axaxá era um cachorro vira-lata que se apaixou por uma cadelinha na rua dele, pretinha, lustrosa, cheirosa... E o Axaxá ficou doido,louco. Ela estendia roupa no varal, aquele negócio todo e o Axaxá parava, olhava. Ele ficou tão apaixonado que trazia flores pra ela. Imagina um cachorro levando flores? Ele tava perdidamente apaixonado por ela e ela aparentemente também. Mas acontece que de repente apareceu um cachorro da cidade. O cachorro chegou dirigindo um carro, de terno, gravata. Terno e gravata naquela época era chiquérrimo né, irresistível. Acho que até que ele usava chapéu. Carro conversível.E a cadelinha ficou deslumbrada com tudo aquilo né? Nunca tinha visto um cachorro dirigindo um carro, de terno e gravata. O Axaxá ficou desesperado, enlouqueceu,começou a beber. E o livro, um livro de história infantil, ilustrava o Axaxá num bar, bebendo, enchendo a cara. Não sei o que ele bebia, se era leite ou cachaça, mas bebia muito.

Sinceramente,não me lembro bem como terminou a história, mas que triste né, não contar o final da história. Mas depois de muito, depois da Jovem Guarda, já tava grande né, adulto, eu ganhei um cachorro, um vira-lata, vira-lata preto e branco. E então eu dei o nome de Axaxá. E foi esse cachorro que me sorriu latindo.”

Antes de cantar “Lady Laura”, música em homenagem à sua mãe, Roberto Carlos contou: “Quando eu fiz esta canção a fiz com muita alegria e sempre a cantei com muita alegria e amor. Hoje não a canto com a mesma alegria de antes, mas a canto com muito mais amor! “ No momento final da música, ele olha para cima e manda um beijo para o céu. O momento emocionante do show segue com “Nossa Senhora”.

Roberto Carlos contou também da emoção de ter estado em Jerusalém, e que lá voltou a cantar uma canção que não cantava há muitos anos! Foi a vez de “Pensamentos”, música de 1982.

“Mulher pequena” deu início às músicas sensuais. E Roberto, assim como na interpretação de “Cama e Mesa”, volta a divertir o público com suas coreografias. “Sua mão leve desliza pelos pêlos do meu corpo e dentro da minha camisa” é um destes momentos. O inconfundível gesto, no qual o Rei passa as mãos por dentro do terno, alisando os pelos do peito, faz a mulherada ficar em êxtase.

Seguindo o clima sensual, Roberto conta como começou a falar de sexo nas suas composições.
“Depois da Jovem Guarda,um dia eu comecei a pensar nas canções que eu vinha fazendo, já tinha feito “Como é grande o meu amor por você” e pensei o que tava faltando falar nas canções de amor que eu fazia. Faltava falar de algo mais né? Ai pensei: ‘Tá faltando falar de sexo’. E ai pensei como eu ia falar de sexo, até agora eu não falei de nada disso né? Se eu falo de sexo numa canção dessa, na próxima canção, o que vão pensar de mim? De repente eu vou ficar falado na minha rua né? Mas pensei, afinal de contas, já naquela época eu já pensava da forma que penso hoje. Um dia me perguntaram, numa entrevista coletiva, três coisas que eu gosto mais. Eu respondi que as coisas que eu gosto mais, segundo lugar é sexo, em primeiro lugar sexo com amor e em terceiro lugar, sorvete! O primeiro passo realmente é o mais difícil, se eufalar de sexo nas canções, tem que falar com muito cuidado, mas afinal de contas eu vou falar de sexo com amor. E ai me atrevi e fiz a primeira canção e de repente eu disse “Eu te proponho”... Foi a deixa para continuar o momento sensual do show, com “Proposta”.

“ O primeiro passo já tinha sido dado. Gravei a canção, cantei a canção. Ninguém reclamou, pelo contrário, até fui aplaudido. Depois que me aplaudiram dizendo tudo aquilo, eu falei ‘Ahhh, agora não vou mais me preocupar de ficar falado na minha rua, né?’ Então eu... ‘Nosso amor é demais...’ “ Era a famosa “Côncavo e Convexo” que foi seguida da canção “Cavalgada”.

Na apresentação da banda, foram destacados dois aniversariantes. Tutuca e Dedé, músicos do Rei há muitos anos! Ao serem apresentados por Roberto Carlos, a banda tocou “Parabéns pra você”. Um momento engraçado é quando RC vai apresentar o pianista Wanderley, ele se levanta e vai para frente do palco. Os súditos gritam “Wanderley, Wanderley...” E Roberto comenta “Vocês não sabem o problema que estão me arrumando, mas tudo bem. Eu queria falar também que há 30 anos eu vejo esta cena, e até hoje não me acostumei”


Roberto Carlos continuou o show com o pout-pourri da Jovem Guarda : "É proibido fumar", "Namoradinha de um amigo meu", "Quando", "E por isso eu estou aqui" e "Jovens tardes de domingo".

“No início deste show eu disse que iria falar melhor cantando e esta música diz tudo que eu gostaria de falar pra vocês, eu amo vocês” – disse o Rei antes de “Como é grande o meu amor por você”

Já com todos os súditos em frente ao palco, Roberto canta as últimas músicas, “É preciso saber viver” e “Jesus Cristo”.
A disputa é acirrada pelas tão sonhadas rosas! As mais sortudas, dentre elas, esta que vos fala, levam para casa a recordação de mais um momento lindo com o Rei Roberto Carlos!


Todas as fotos são exclusivas do BlogRCB, tiradas por Ana Luiza Machado, exceto a primeira, que é do site Terra.
Roberto Carlos vai à igreja Santa Luzia, no centro do Rio

Ana Luiza - 14/12/11 às 11:00


Olá Súditos!

Ontem (13), foi o dia de Santa Luzia, santa protetora dos olhos. Como muitos devem saber, o filho do nosso Rei, Dudu Braga, que faz aniversário na data de hoje, nasceu com um glaucoma. Quando a outra filha do Rei, Luciana, estava para nascer, o médico avisou que ela também poderia nascer com o problema, e Roberto fez uma promessa para a santa, para que a filha não nascesse com o mesmo problema.


Homem de fé, Roberto sempre cumpriu suas promessas e sempre neste dia vai à igreja Santa Luzia, no centro do Rio de Janeiro, para reforçar seus votos e agradecer.

Este ano ano não poderia ter sido diferente. Ontem à noite, o Rei seguiu para a igreja Santa Luzia e lá celebrou o dia da Santa .

Os fãs, que sempre estão presentes na vida do Rei, acompanharam de perto o momento, e esperaram ele sair da igreja para tietar o ídolo!! Roberto Carlos, que é sempre atencioso com os fãs, retribui o carinho e acenou para todos e alguns até conseguiram tirar fotos com ele! Muitas emoções,não?


Veja as fotos, publicadas pelo Band, O Fuxico e Revista Quem.


Compre CDs e DVDs de Roberto Carlos !

5 comentários. Clique aqui para comentar!:

MABEL disse...

QUE MAS PODRIA DECIR...SIMPLEMENTE MUCHAS GRACIAS¡¡¡MABEL.

ana marques-rj disse...

Bacana demais as 2 reportagens,os verdadeiros fãs adoram saber de tudo que se refere a RC.Parabéns!!!!!!
Eu estive nos shows 08 e 09 foram realmente recheados de muita emoção!!!!!!!!

Maria José Soares Moura disse...

Gostaria de saber como faço para enviar uma poesia feita pela minha tia de 83 anoa em homenagem ao Rei.

Anônimo disse...

Gostaria muito de conhecer meu primo segundo Roberto Carlos Braga , sou primo , sou da família e gostaria de saber como dar uma abraço pessoalmente no Roberto, quem puder me ajudar eu agradeço.
abraços
Newton Navarro Braga filho de Luiz Florence Braga.

Noemia Leite disse...

Parabens pelas belas reportagens.
O show na sala principal do Teatro Castro Alves em Salvador foi simplesmente divino.
Recebi flores, fui ao camarim, tirei foto e já recebi por e-mail.
A mesma já esta devidamente emoldurada fazendo parte da decoração da minha sala e alegrando ainda mais o meu Natal.É impressionante que depois de quase 2hs.de show, a educação, alegria serenidade, gentileza e amor que ele recebe os suditos.
"É REALMENTE UM REI".
Dia 04 fevereiro, embarcarei no cruzeiro "Emoções em Alto Mar"

Related Posts with Thumbnails