domingo, 28 de agosto de 2011

Análise De Disco - Amor Sem Limite (2000)

Esta matéria contém:
  • Análise de Disco - Amor Sem Limite(2000)
  • Novidades sobre o show em Jerusalém.
  • Diplomacia e parcerias comerciais cercam a megaprodução de Roberto Carlos em Jerusalém.
  • Roberto Carlos fará shows em São Paulo e Rio no fim do ano.
  • Veja a maquete do palco de Roberto Carlos em Jerusalém!
  • Produção do Rei confirma shows em São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Roberto Carlos embarca para Jerusalém.

Foto: Luís Garrido

Olá Súditos!


Hoje, estamos de volta, para dar continuidade ao nosso Blog Roberto Carlos Braga. A você que vem nos acompanhando, o nosso muito obrigado!

Estamos relembrando as esposas de Roberto Carlos, e antes de falar de todas elas, Pedro Mülbersted, catarinense, fã de Roberto e membro da equipe deste blog, vem analisar um disco relacionado com a esposa. Foi assim com o disco de 1977 antes de Nice, ou com o disco de 1989, antes de Myrian Rios. Hoje, estamos preparando o Blog para falarmos sobre Maria Rita. Então, não poderíamos falar sobre outro álbum. Com vocês, Amor Sem Limites! Boa leitura!

ROBERTO CARLOS, AMOR SEM LIMITE (2000)

Saudações, súditos robertistas! Que prazer reescrever pra vocês – hehehe! Vamos publicar mais uma análise da discografia real, outro grande disco marcante para a vida e carreira de nosso ídolo. Enjoy!

“O poeta é um fingidor./Finge tão completamente/Que chega a fingir que é dor/A dor que deveras sente.” (Fernando Pessoa). Esses versos do grande Fernando Pessoa traduzem exatamente o que é esse disco, “Amor Sem Limite”, e quem era o artista e pessoa Roberto Carlos naquele momento. Quer saber o motivo? Acompanhe! (Foto: Roberto Carlos na Coletiva de Lançamento do Disco 2000. Arquivo Blog RCB)

Aquele ano foi um ano difícil para Roberto Carlos. Em 19 de dezembro de 1999, morria Maria Rita, o grande amor da sua vida – título de uma das canções que compõe o álbum aqui analisado. Uma perda difícil, que abalou profundamente a sua vida e, consequentemente, a sua carreira. Coisa que nós, fãs, naturalmente, compreendemos. É mais ou menos assim...


Esse é o primeiro disco dedicado integralmente à Maria Rita. Praticamente todos os seus lançamentos nesta década seguiriam esta ideia, um sentimento que se manteve firme em nosso rei. Em função desse momento difícil da vida dele, esse disco também apresenta algumas “irregularidades” tal como o seu último lançamento inédito anterior – o disco de 1998.

Das 10 faixas, 3 são velhas conhecidas do público: “Eu Te Amo Tanto”, lançada em 1998, “Mulher Pequena”, de 1992, e “Quando Digo que Te Amo”, de 1996, aqui incluídas como homenagens à esposa. Todas as outras músicas são também homenagens a ela. E esse é um ponto que merece uma atenção especial, pois divide opiniões entre fãs, apreciadores e depreciadores: há quem goste e ouça numa boa as música desta fase “Maria Rita”; já outros acham que Roberto Carlos ficou “chato” com essa fixação pela mulher. Há ainda quem não se importe e aprecie essas músicas simplesmente como lindas canções, como de fato o são. O “curioso” (pra não dizer irônico), é que enaltecem “Tears In Heaven” do Eric Clapton, exaltam os discos da fase obscura de Neil Young, mas quando se trata de Roberto Carlos, os “críticos” consideram chatice. Vai entender, né? (Foto: Roberto Carlos em 2000. Captura Rede Globo)

Outro comentário acerca da produção deste período faz menção aos arranjos. Ao contrário dos arranjos grandiosos a la big band, com muita orquestra com metais, cordas, etc., estes são mais enxutos, “secos”, simples. Há quem diga que foi uma perda de qualidade nas músicas, mas eu vejo por um outro lado: a intenção do Roberto, aqui, é dar mais destaque às letras do que aos instrumentos em si, é focar a música no vocal, na composição, para que escutem o que ele tem a dizer, mesmo. Isto não é prejudicar o trabalho dos arranjadores, ou tolher o trabalho dos músicos, mas dar à música a cara que ele quer que elas tenham; que o resultado seja exatamente aquilo que ele planejou – o que ele tem todo direito, afinal, o disco é dele.

Uma outra mudança em relação à sua produção anterior é que, a partir daqui, a parceira de anos com o amigo Erasmo Carlos seria interrompida, indefinidamente. Não porque a amizade entre os dois tenha acabado, ou algum desentendimento, mas porque aqui o Roberto queria compor à maneira dele, falar de coisas que só dizem respeito a ele e que só podem partir do seu coração. No seu juízo, não seria o caso de dividir a composição com outrem. Uma decisão que foi respeitada e compreendida pelo Erasmo, e que, segundo ambos, em nada afetou na sua relação pessoal, na amizade. Roberto contou, inclusive, que Erasmo foi o primeiro a dizer: "Roberto, fique à vontade, faça as coisas como você acha que devem ser feitas". Mas a mídia é fogo, meus amigos! (Foto: Roberto Carlos em 2000. Captura Rede Globo)

Tendo isto em mente, vamos às canções!
O Grande Amor da Minha Vida abre o disco já com esse tom de romantismo misturado com tristeza, como é perceptível na melodia, na interpretação do Rei. Romantismo porque se trata do grande amor, como fica claro no título; tristeza porque este grande amor já não está mais presente. A letra não deixa isso claro, essa partida, mas dá a entender isso... Principalmente porque Roberto disse, em entrevistas à época, que não tinha intenção de falar de dor neste disco. E o curioso é que os personagens da canção vivenciam um momento parecido com aquele vivido pelo artista. Lembram do poema do inicio da matéria? Pois então.

“Amor Sem Limite”, na sequência, traduz tudo aquilo que Roberto estava sentido no momento. Uma continuação de “Eu Te Amo Tanto”, o mesmo sentimento mas agora em um outro contexto. Uma declaração de amor sem igual, algo tão forte que transpõe todas as barreiras possíveis... uma canção que pode ser usada em muitas situações, cantar pra namorada, dedicar à esposa, enfim. Aqui não à tristeza, mas sim a exaltação do amor entre o homem e a mulher. Lindo.

O Grude” continua com a mesma ideia da canção anterior. Já que este amor é “sem limites”, assim também é o companheirismo do casal: aquela coisa de estar sempre junto, que um viver para a alegria do outro, de entender os sentimentos do outro – mas sem “sufocação”... como uma paixão que dura eternamente. Bom, sabemos que nem sempre é assim, que o tempo “amansa” os corações mais agitados e vai transformando tudo em um sereno amor – expresso também em outras músicas do repertório real - mas vamos dar um desconto para o momento criativo vivido pelo Roberto. (Foto: Roberto Carlos em 2000. Captura Rede Globo)

“Tudo” é uma composição de Martinha, companheira da Jovem Guarda. Uma canção com ritmo mais lento, mais melódica, bem à maneira Roberto Carlos: cantada com o coração, sem muitas técnicas e sofisticações, mas uma interpretação cheia de sentimentos que complementa o sentido da própria letra... feeling. O mesmo vale para “Momentos Tão Bonitos”, que fecha o disco, composição de Eduardo Lages e Paulo Sérgio Valle. Como o Roberto mesmo já revelou, ele só grava composições alheias que digam exatamente aquilo que ele gostaria de dizer em uma composição sua, portanto, aí está uma música que certamente diz muito para ele, naquele momento; sua interpretação aqui também revela essa característica. (Foto: Roberto Carlos na Coletiva de Lançamento do Disco 2000. Captura Rede Globo)

Este disco não é melancólico ou depressivo, como alguém desavisado poderia supor ao relacioná-lo com a vida pessoal do artista naquele momento; a voz do Roberto demonstra sim uma tristeza por conta de tudo que ele sentia naquele momento, e a capa traz isso também, pelo olhar triste do Rei. Contudo, ao mesmo tempo, as canções carregam um traço de alegria, algo como um esforço por resgatar os momentos felizes – os “momentos tão bonitos” de um “amor sem limite”. Infelizmente muitas pessoas rejeitam este álbum e outras músicas desta fase da carreira do Rei por puro preconceito, por ser “música pra Maria Rita”. Problema delas, por perderem a oportunidade de ouvirem lindas canções que dizem muitas coisas que nós, nas nossas vidas, gostaríamos de dizer para alguém, ou simplesmente sentimos. E isto, como sabemos, Roberto Carlos consegue fazer como ninguém: suas músicas são tão boas porque falam de coisas que todos nós passamos, sentimos, fazemos. É isso que faz dele o maior cantor popular da música brasileira. (Foto: Roberto Carlos na Coletiva de Lançamento do Disco 2000. Captura Rede Globo)

Clique aqui para comprar o disco Amor Sem Limite.

Próxima Matéria
Próximo domingo estaremos de volta, com uma matéria sobre Maria Rita. Imperdível!

Esta matéria pertence ao ProjetoSaiba mais sobre esse projeto, clicando aqui.

Novidades sobre o show em Jerusalém
Ana Luiza - 28/08/2011 às 9:30
Foto: Arquivo Blog RCB
Olá Súditos!


O show de Roberto Carlos está quase chegando e os preparativos também estão na fase final!

Ontem,o maestro do nosso Rei, Eduardo Lages, publicou, em seu blog, uma nota, falando sobre os ensaios para o show.

Veja abaixo:

"Nesse fim de semana terminaremos os ensaios para o show em Jerusalem. Teremos novidades, músicas que o Roberto nunca cantou em shows e algumas formas diferentes de apresentar as que já canta normalmente. Por se tratar de um show com repercussão internacional, o Roberto deverá cantar em até 5 idiomas. A TV Globo está se preparando para levar a apresentação desse evento ao mais alto nível . Deve sim virar um DVD/CD e a expectativa é a de que o Diretor Geral desse show, Jayme Monjardim, dê um show de imagens com o seu talento e indiscutível bom gosto já que a parte musical o nosso RC garante...voces sabem disso. Logo após o show de Jerusalem, voltaremos a nossa rotina de shows pelo Brasil.

Com relação ao meu CD, com todo esse tumulto de Jerusalem, fui obrigado a adiar o lançamento para o dia das mães , em maio próximo. Deverá se chamar "Romances" e terá uma participação, que tenho certeza, voces vão adorar."

Agora é aguardar as emoções! E que cheguem logo,não é mesmo? Nós súditos estamos ansiosos para ver o resultado deste mega show.
Diplomacia e parcerias comerciais cercam a megaprodução de Roberto Carlos em Jerusalém
Daniela Kresch - O GLOBO - Publicada em 28 de agosto de 2011 às 7h40
Publicado no Blog RCB por James Lima dia 28 de agosto de 2011 às 15h45
TEL AVIV - Nas curvas da estrada de Tel Aviv para Jerusalém, o "Rei" já está presente. Bandeirolas com o rosto de Roberto Carlos enfeitam os postes na entrada da cidade sagrada, onde o cantor se apresenta, em show único, no dia 7 de setembro, para um público estimado em 5,5 mil pessoas num anfiteatro colado às muralhas da Cidade Velha. A menos de duas semanas da apresentação - que será gravada em tecnologia 3D e transmitida pela TV Globo no dia 10 de setembro, além de gerar um DVD -, o entusiasmo não para de crescer entre os produtores, os 300 técnicos brasileiros e locais, os cerca de 1,5 mil fãs que vão à Terra Santa só para o evento - a empreitada incluía levar 3 mil, mas não havia logística possível - e a comunidade de 15 mil brasileiros em Israel. Afinal, não é todo dia que o autor da música "Jesus Cristo" canta na cidade onde o próprio viveu e morreu.
Saia-justa com data e repertório

O übershow contará com um cenário grandioso, de 14 metros de altura, avaliado em cerca de R$ 600 mil, e um palco de 40 metros de fundo reproduzindo os principais pontos religiosos da Cidade Velha: o Muro das Lamentações, a Igreja do Santo Sepulcro e a Mesquita de Al-Aqsa. Mas a apresentação não vai acontecer sem uma pitada de polêmica, como é de praxe no Oriente Médio. A data e o repertório não agradaram aos diplomatas brasileiros em Israel. Afinal, todo ano, o 7 de Setembro é reservado para a comemoração oficial do Dia da Independência na residência do embaixador, em Herzelyia (ao norte de Tel Aviv), com as presenças de autoridades locais e convidados internacionais.

Este ano, por causa do show de Roberto, o coquetel teve que ser adiantado para as 17h - de modo a evitar o forfait de quem já comprou ingresso para o concerto, às 20h, e para que a própria embaixadora, Maria Elisa Berenguer, possa comparecer.

- Todo artista tem liberdade para marcar shows quando bem entende. Neste caso, trata-se de uma feliz coincidência - diz, apaziguadora, a embaixadora Maria Elisa. - Afinal, o Roberto representa o Brasil, mesmo que não oficialmente.

Justamente por ser um "representante informal" do país é que alguns diplomatas desaprovam a intenção do Rei de cantar, em hebraico, uma das músicas mais populares em Israel: "Jerusalém de Ouro". O Coral da Hebraica de São Paulo até já gravou um acompanhamento da canção para o show. A música é um hino de amor à cidade milenar, composto pouco antes da Guerra dos Seis Dias, em 1967, quando Israel conquistou, da Jordânia, a parte Oriental de Jerusalém. Para alguns, ao cantar a música, Roberto Carlos estaria demonstrando apoio à ocupação dessa parte da cidade, onde moram, hoje, cerca de 250 mil palestinos, principalmente se subir ao palco com seu tradicional modelito azul e branco - cores da bandeira de Israel.

- Não acho ruim que ele cante em hebraico, acho até um gesto simpático. Cantar em inglês não quer dizer apoiar a política americana ou britânica, por exemplo. Mas, como boa parte dos moradores de Jerusalém fala árabe, seria interessante se ele cantasse também em árabe - acredita a embaixadora.

Talvez por causa dessa controvérsia é que Roberto tenha se mostrado um tantinho hesitante em entrevista publicada na sexta-feira pelo jornal israelense "Yedioth Aharonoth" ("Últimas Notícias"), o maior do país. No texto, o Rei parece estar repensando o ato de colocar a mão na cumbuca do conflito entre israelenses e palestinos. Há anos, alguns artistas preferem não se apresentar em Israel para evitar esse tipo de problema, sem contar os que ativamente boicotam o país.

"Aprendi a cantar 'Jerusalém de Ouro' em hebraico, mas não tenho a certeza se vou cantá-la. Por enquanto procuro outras músicas de amor em hebraico", disse o cantor ao repórter Nevo Ziv, que foi levado ao Rio pela produção do show, passando três dias em uma imersão de Roberto Carlos.

Para o produtor israelense do show, o poderoso empresário Shuki Weiss, é preciso deixar a política de lado, mesmo que Roberto tenha marcado um encontro com o veterano presidente israelense Shimon Peres no dia 1 de setembro, assim que colocar os pés na Terra Santa.

- Toda a história por trás da vinda dele a Jerusalém é fazer uma apresentação na cidade sagrada para tantas religiões, pessoas e nações. O investimento que está sendo feito no palco e no cenário trata da harmonia entre os povos e da possibilidade de que vivamos juntos, muçulmanos, cristãos e judeus - alega Weiss. - A produção do cantor não está economizando em nada, sendo rigorosa nos detalhes para espelhar o multiculturalismo de Jerusalém.

O cantor brasileiro também vai receber, do patriarca latino de Jerusalém, Fouad Twal, a condecoração de Cruz do Mérito, a mais alta comenda da Igreja Católica em Israel, além de produzir um especial que será vendido em 115 países e lançar o livro "Rei", com mais de 500 páginas com fotos de sua trajetória.

Além do horizonte da questão política, a produção de Roberto enfrenta a realidade do Oriente Médio, que preocupa os quase 1,5 mil fãs do cantor que já compraram pacotes para uma viagem de cinco dias à Terra Santa, a preços que variam de US$ 3,4 mil (R$ 5,5 mil) a US$ 14,2 mil (R$ 22,8 mil). Segundo a produção, apenas jornalistas foram convidados a ir do Brasil para Israel. Os outros conterrâneos do Rei presentes, incluindo famosos como o humorista Tom Cavalcante e o empresário José Victor Oliva, custearam as próprias viagens. Além de assistir à apresentação, os fãs-peregrinos irão conhecer pontos de turismo cristão como a Galileia, o Mar Morto e Nazaré. Há dez dias, uma série de atentados terroristas abalou o Sul de Israel e levou as forças de segurança locais a aumentar o nível de alerta por todo o país para possíveis ataques.
Projeto pode continuar

Além de agradecer às parcerias diversas - a própria produção admite que, sem elas, a conta jamais fecharia -, o empresário Dody Sirena e os súditos do Rei não deixam de sonhar: se o saldo da conquista do Oriente Médio for considerado positivo, a intenção é levar o espetáculo a um lugar diferente a cada ano, mais ou menos como acontece com o cruzeiro Emoções a Bordo, que há oito anos leva os fãs de Roberto Carlos para balançar em alto-mar.



Roberto Carlos fará shows em São Paulo e Rio no fim do ano

Publicado no Destak Jornal - 29/08/2011
Publicado no BlogRCB por Ana Luiza - 29/08/2011 às 05:50

Foto: Arquivo BlogRCB
Roberto Carlos vai se apresentar em São Paulo e no Rio no fim do ano. Segundo apurou o Destak, os shows acontecerão dias 9, 10 e 11 de novembro, no Credicard Hall, em São Paulo, e nos dias 8 e 9 de dezembro, no Citibank Hall, no Rio.

O Rei já havia anunciado show em Brasília, dia 1º de outubro, no ginásio Nilson Nelson. Os ingressos começaram a ser vendidos no sábado e vão de R$ 100 a R$ 800. Haverá também apresentações em Belo Horizonte, no dia 24 de setembro, no ginásio Mineirinho, e Porto Alegre, dia 15 de outubro, no ginásio Gigantinho.

Agora, Roberto Carlos está em Jerusalém, em Israel, onde vai cantar para 6,5 mil pessoas no dia 7 de setembro. O show será gravado e transmitido depois pela TV Globo.

NOTA DO BLOG : Na terça-feira,o BlogRCB divulgou que Dudu Braga,filho de Rei,disse que RC estava negociando shows para São Paulo, mas que não há nada confirmado ainda. As informações ainda não foram confirmadas por ninguém da equipe de Roberto Carlos. Assim que for confirmado,publicaremos. Fiquem de olho nas novidades!

Veja a maquete do palco de Roberto Carlos em Jerusalém!

O FUXICO - 30/08/11 às 8:15
Publicado no BlogRCB por Ana Luiza - 30/08/11 às 11:10



Em ritmo de contagem regressiva para o grande show de Roberto, em Jerusalém, novos detalhes da mega produção são revelados.

O concerto do Rei, que acontece em 7 de setembro, contará com um cenário de 14 metros de altura e 40 metros de fundo, que reproduz os principais lugares da Cidade Velha como o Muro das Lamentações, a Igreja do Santo Sepulcro e a Mesquita de Al-Aqsa. O grandioso cenário vai retratar a pluralidade religiosa e a possibilidade de harmonia entre os povos muçulmanos, cristãos e judeus, marcados por diferentes costumes e religiões.

A construção do cenário está avaliada em aproximadamente R$ 600 mil. No centro da foto aqui publicada, a maquete do palco.

Além da equipe da DC Set, que já está em Israel cuidando dos mínimos detalhes do evento, a produção de Roberto na Terra Santa conta com a infra-estrutura do produtor israelense Shuki Weiss, responsável por todos os grandes eventos que passam pelo país. Nos últimos tempos o mega empresário produziu nomes como Madonna, U2, Roger Waters, Ozzy Osbourne, Coldplay, Jeff Beck, Ziggy Marley, entre outros.

Segundo contou o maestro Eduardo Lages em seu blog, Roberto cantará músicas que nunca cantou em shows e também mostrará “algumas formas diferentes de apresentar as que já canta normalmente.

Lages revelou ainda que “por se tratar de um show com repercussão internacional, o Roberto deverá cantar em até 5 idiomas”.

O show será gravado em tecnologia 3D e transmitido pela Globo em 10 de setembro, logo após a novela Fina estampa. Está previsto ainda o lançamento de um DVD.


Produção do Rei confirma shows em São Paulo e Rio de Janeiro
Ana Luiza - 30/08/11 às 18:50



Olá Súditos!!

Desde semana passada divulgamos que o Rei estava negociando shows em São Paulo e Rio de Janeiro, mas sem confirmação da produção de Roberto Carlos.

Para alegria de todos nós, súditos do Rei, a produção do cantor confirmou hoje as datas dos shows em São Paulo e Rio de Janeiro. As datas para São Paulo são 9 e 10 de novembro e para o Rio de Janeiro, 8,9,20 e 21 de dezembro.

As vendas começam no dia 14 de setembro e vão até o dia 20 para portadores dos cartões Credicard, Diners e Citi. A venda para o público em geral começará no dia 21.

Os shows na cidade paulista serão no Credicard Hall e a venda acontece pelo site: www.ticketsforfun.com.br ou pelo telefone:4003-5588.

No Rio de Janeiro, os shows do dia 8 e 9 de dezembro acontecem no Citibank Hall e a venda será no mesmo local da venda de São Paulo.
Já os shows dos dias 20 e 21 de dezembro, serão no Vivo Rio. As vendas acontecem pelos sites www.ingressorapido.com.br ou www.vivorio.com.br. Também é possível comprar pelo telefone: 4003-1212 e no local do evento, que fica na Rua Infante Dom Henrique, 85.

Roberto Carlos embarca para Jerusalém
Ana Luiza - 30/08/2011 às 21:40

Foto: Arquivo BlogRCB

Hoje(30) o Rei Roberto Carlos embarcou para Jerusalém, onde se apresentará no dia 7 de setembro.

Segundo o site O Fuxico, o voo de RC saiu de São Paulo hoje, às 19H05. Roberto Carlos optou por viajar na primeira classe do voo da El Al. O jatinho particular do Rei, por ser de menor porte,teria que fazer três paradas até chegar em Tel-Aviv.

Nosso ídolo desembarca na Terra Santa às 14h55 de quarta-feira (31), horário de Israel. Dody Sirena, empresário do Rei;Jayme Monjardim, diretor do show e Carminha, secretária de RC, viajaram junto com ele.


Toda a cobertura das emoções em Jerusalém você confere aqui no BlogRCB. Fiquem de olho!

Compre CDs e DVDs de Roberto Carlos !

5 comentários. Clique aqui para comentar!:

Carlos André disse...

Esse disco é maravilhoso,parabéns pela análise bicho,há e a primeira página tá muito bacana aquela foto do Rei.

Abraços

alda disse...

O disco é lindissimo,na voz do Rei mais lindo ainda,obrigada James pelas lindas matérias com que nos presenteia.

alda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

roberto

DEBAIXO DOS CARACÓIS.... M RSRS disse...

ROBERTO, TE AMOOOOOOOOOO.A JOVEM GUARDA PRA MIM, ERA VOCE!OBRIGADA POR TANTAS EMOÇÕES!DEUS TE ILUMINE SEMPRE!TODA FELICIDADE A VC, TE AMOOOOOOOOOOOO, 1000 BEIJOS.