domingo, 29 de maio de 2011

Análise de Discos - Roberto Carlos 1963

Olá Súditos!

Depois do fim da série Meu Pequeno Cachoeiro, vivo só pensando em ti..., estamos de volta. Mas hoje vamos dar uma pausa no Projeto Roberto Carlos 70 Anos De Emoções, para voltarmos a apreciar mais uma análise de disco, por Pedro Mülbersted, membro da equipe deste blog.

Pedro tem 20 anos, mora em Santa Catarina, e entrou na equipe de nosso blog no início de 2011. Já teve uma matéria publicada, a análise do disco Roberto Carlos 1970, que você pode reler aqui, e hoje vai falar um pouco sobre o disco Roberto Carlos 1963. Boa leitura!

ROBERTO CARLOS, 1963

Em 1963, era lançado o segundo disco de Roberto Carlos, Splish Splash. Segundo que vale também como primeiro. Não desconsiderando o disco “Louco Por Você” (1961), lançado dois anos antes, podemos considerar Roberto Carlos 1963 o primeiro, por ser um disco inovador para a época, e para o próprio Roberto Carlos. Por que digo isso? É o que vou explicar nesta resenha.

No ano de lançamento de Splish Splash, Roberto Carlos não era um cantor, digamos, “veterano”, mas também não era mais um “brotinho sem juízo” de início de carreira; já era conhecido no circuito de rádios do Rio de Janeiro e já tinha feito algumas aparições na televisão. Lançou alguns singles que chamaram atenção (Susie, Malena, Fim de Amor, Triste e Abandonado), e já tinha, inclusive, um fã-clube, fundado em 1962! Mas principalmente, tinha a atitude de encarar os “velhinhos” da CBS (a orquestra que os produtores “empurravam” para acompanhar nossos primeiros roqueiros) e, ao mesmo tempo, gravar com uma banda de Rock'n'Roll de verdade.

Para gravar este disco, Roberto Carlos escolheu como banda de acompanhamento The Angels (nas faixas Parei Na Contramão, Na Lua Não Há e Professor de Amor) e Renato e Seus Blue-Caps (na faixa-título, Splish Splash) – as demais músicas foram gravadas com a orquestra da CBS, sob direção de Astor (não o Piazzolla! rs). Isto deu um novo tom às canções gravadas, porque era gente que gostava de Rock como o Roberto, e que podia tocar o que ele queria pois “falavam a mesma língua”.

Mas não pense que o disco era só de Rocks, não! Tinha também sua dose de Bossa-Nova (É Preciso ser Assim) e baladas (Baby, meu bem e Oração de um Triste). Um tanto quanto eclético, aspecto que marca a discografia do nosso Rei. Desde aquela época!

Outro fato importante: este é o primeiro lançamento dele a conter composições da dupla Roberto & Erasmo Carlos: a já citada É Preciso Ser Assim e a primeirona do disco, Parei na Contramão. Esta é considerada o primeiro Rock composto em português no Brasil – diferente das versões que eram feitas na época, aliás presentes aqui também. E isto em uma época em que vigorava o tabu de que cantor não podia ser compositor, e vice-versa. Duplamente inovador! Foi uma música que fez muito sucesso na época, estourando em São Paulo e no Rio de Janeiro, abrindo portas também para que fosse tocada em outras regiões do Brasil.

Outro hit do disco foi a faixa-título, Splish Splash, com uma levada Surf Rock de primeira, versão de Erasmo Carlos para a música homônima em inglês de Bobby Darin. Na verdade, Erasmo praticamente fez uma nova música em cima da melodia da canção original. Essa história de dois namoradinhos no cinema é coisa da cabeça do Tremendão! O original fala de um banho que um rapaz estava tomando em casa, na banheira, quando foi surpreendido por uma festa na sala. Mas isso era comum na época. Os compositores geralmente pegavam os hits internacionais e “versionavam” para o português com uma letra que nem sempre correspondia com a original. Às vezes saíam letras totalmente diferentes. Abaixo, você pode ouvir Splish Splash na versão de Roberto Carlos e Splish Splash na versão de Bobby Darin. Basta clicar no Play. Acompanhe a letra da versão em português.
Roberto Carlos - Splish Splash
Bobby Darin - Jean Murray (versão: Erasmo Carlos) / © EMI Musica Publishing


Bobby Darin - Splish Splash

Bobby Darin - Jean Murray

Esta canção está neste disco:

Clique aqui para comprá-lo, no formato CD.
Splish Splash
Splish splash fez o beijo que eu dei
Nela dentro do cinema
Todo mundo olhou me condenando
Só porque eu estava amando

Agora lá em casa todo mundo vai saber
Que o beijo que eu dei nela
Fez barulho sem querer
Splish splash, todo mundo olhou
Mas com água na boca muita gente ficou

Splish splash, splish splash
Splish splash, splish splash, splish splash

Splish splash, fez o tapa que eu levei
Dela dentro do cinema
Todo mundo olhou me condenando
Só porque eu estava apanhando

Agora lá em casa todo mundo vai saber
Que o tapa que eu levei
Fez barulho e fez doer
Splish splash, todo mundo olhou
Mas com água na boca ninguém mais ficou

Splish splash, splish splash, splish splash

Splish splash, fez o beijo que eu dei
Nela dentro do cinema
Todo mundo olhou me condenando
Só porque eu estava amando

Agora lá em casa todo mundo vai saber
Que o beijo que eu dei nela
Fez barulho sem querer
Splish splash, todo mundo olhou
Mas com água na boca muita gente ficou

Splish splash, splish splash, splish splash
Splish splash
Splish splash
Outra música muito especial está presente neste play, “Na Lua Não Há” de Helena dos Santos. É a primeira colaboração desta grande compositora que esteve muito presente na carreira do nosso Rei nos anos 60 e 70. E olha que ela quase não sai no disco, pois o Roberto não conseguia falar com ela pra que assinasse a papelada autorizando a execução da canção... eita burocracia! Vocês podem saber um pouco mais dessa relação entre o Roberto e a Helena dos Santos em outra matéria aqui do blog, publicada em agosto de 2010, clicando aqui. É uma música bem legal, com letra divertida e melodia “pra cima”, o típico bom e velho Iê-Iê-Iê (como chamavam por aqui).

Quero Me Casar Contigo” é uma canção inocente, bonitinha, daquelas de letra ingênua que remontam bem ao estilo Rock'n'roll dos anos 60, à lá Beatles... mas, por favor, evitemos comparações com qualquer coisa da cena musical hoje em dia, são outros tempos. “Onde Anda o Meu Amor”, “Só Por Amor”e “Baby, Meu Bem” são baladas que dão pistas para o grande cantor romântico que Roberto se tornaria, a partir dos anos 70; misturam a inocência da juventude com o grande coração que o Roberto tem, muito bem ocupados por Amor e por Jesus Cristo (ops, ficou meio redundante!).

E por falar em Jesus, “Oração de um Triste”, composição de José Messias, também fez um sucesso significante na época, e é a primeira canção com temática religiosa cantada pelo nosso Rei. Mais uma inovação, e outra pista do que Roberto Carlos se revelaria nos anos 70. Entretanto, é uma música triste, pois notamos que o personagem está passando por grande sofrimento, a ponto de perder a razão e duvidar de Deus... mas, a tempo, se liga do erro, e pede perdão ao Senhor. Uma bonita mensagem, convidativa para uma reflexão, quando sentirmos que precisamos.


Professor de Amor” é uma versão de Marcos Moran para “I Gotta Know”, do Rei do Rock Elvis Presley. Interessante o fato do chamado “Elvis Presley brasileiro” gravar uma música do próprio, em uma versão que não perde em nada para a original do monarca roqueiro. Outro caso de versão que a letra não bate com a original - mas, quem liga quando o resultado fica bom rs? - “Nunca Mais te Deixarei” é uma música animada, outro bom exemplo de Iê-Iê-Iê, cuja letra trata das idas e vindas de um romance mas que, neste contexto, até parecem dois adolescentes em primeiro amor, daqueles de portão... é, anos 60! E, para terminar, “Relembrando Malena”, fazendo referência ao compacto “Malena” de 1962, dando uma ideia de continuidade conforme expressa o título.

Particularmente, é um disco que gosto bastante de ouvir. Não tem nenhuma música que se possa dizer que é “chata”, daquelas que o dedo fica coçando pra apertar o “próximo” do aparelho de som... embora eu seja meio suspeito de falar rsrs! Este disco pode não ser o primeiro, mas bem que podemos considerá-lo um ótimo recomeço. Não que “Louco Por Você” seja defeituoso ou coisa parecida, mas, bem, prefiro não estender essa discussão. Aqui vamos falar de Splish Splash, como o disco é popularmente conhecido. Oficialmente, chama-se Roberto Carlos 1963.

E no maior estilo Roberto Carlos, eu digo... o que eu poderia dizer, deixo para vocês constatarem ouvindo-o! Um dos mais importantes da carreira do nosso Rei, no início de sua carreira e já tão inovador! Eclético, desafiando padrões e tabus da época. Cheio de atitude, e com traços que seriam reforçados futuramente. Além dos hits!

Roberto Carlos conseguiu captar o que estava em alta na época e misturar com o que tem dentro de si, ou seja, uma autenticidade que raramente se vê; ele consegue fazer as músicas terem “a sua marca” - um aspecto que, ressalto, vemos durante toda sua carreira. Sem dúvidas, não precisava ser vidente, em 1963, para se dar conta que este seria o maior cantor brasileiro de todos os tempos, aqui e lá fora.

Gostou? Compre o disco Roberto Carlos 1963 clicando aqui!

Próxima Matéria
Próximo domingo, James volta com o Projeto 70 Anos De Emoções. Depois de falar de Cachoeiro, teremos uma matéria sobre os pais de Roberto Carlos. Você não pode perder! Entrevista em áudio de Dona Laura!
Entrevista em texto de Seu Robertino!

As fotos desta matéria foram retiradas do Portal Clube do Rei.
Começa a venda de ingressos para show em Uberlândia
Ana Luiza - 02/06/2011 às 15:38

Foto: Arquivo BlogRCB

Foi anunciado na terça-feira(31 de maio) que nosso Rei Roberto Carlos fará um show em homenagem ao dia dos namorados, em Uberlândia. O show será no Center Convention,na Avenida João Naves de Ávila, 1331, dia 12 de junho às 21hrs.

Hoje iniciou a venda de ingressos, porém só para quem tem o cartão Credicard. A pré-venda ocorre hoje e amanhã e no sábado(4) começa a venda para o público em geral.

Há dois setores de ingressos : O setor azul custa R$320,00 com open bar e cadeiras numeradas. O setor amarelo custa R$220,00 com cadeiras não numeradas. Apenas o setor amarelo dá direito à meia entrada para estudantes e idosos,mediante comprovação do benefício.

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site www.ingressorapido.com.br, pelo telefone 4003-1212 ou nos pontos de venda em todo o Brasil. Os endereços dos pontos de venda estão no site de venda dos ingressos.

Garanta já o seu para viver muitas emoções com o Rei Roberto Carlos!

Compre CDs e DVDs de Roberto Carlos !

3 comentários. Clique aqui para comentar!:

Carlos André disse...

Muito bacana,esse disco é especial pois tem a primeira parceria do Roberto e Erasmo,por isso escolhi para o meu blog,(onde faço algumas postagens de vez em quando,bicho parabéns pela matéria.

Abraços

Ant.Frota disse...

O nosso blog tem sempre alguma coisa do Roberto Carlos,o primeiro deles o link do seu blog.Nosso endereço é fc.frota.zip.net blog de Camocim uol,pode conferir o que eu estou dizendo.Iniciei em 13 de maio e me espelhei muito em vc,que é meu mestre.O senhor se faz de servo e esta é a fixação de nossa vida.Obrigado por ser assim,um servidor.

Ant.Frota disse...

fc.frota.zip.net é o endereço.Berg.