domingo, 24 de outubro de 2010

Suas majestades... Roberto Carlos e Pelé!

Olá súditos!

A matéria de hoje vem, atrasada, em um dia, por conta de alguns problemas. Pedimos desculpas pelo atraso e, ao mesmo tempo já iniciamos falando sobre o aniversariante mais ilustre da semana. Trata-se de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

O maior jogador de futebol de todos os tempos nasceu em outubro de 1940, na cidade de Três Corações, no interior de Minas Gerais. Um dado curioso é que há um impasse sobre o dia do nascimento do craque. O aniversário dele, sempre comemorado dia 23 de outubro, apesar de, na certidão de nascimento, estar registrado o dia 21. Mas isso é um problema pequeno, se observarmos o tamanho do talento deste, que foi considerado o atleta do século XX.

Se Pelé é tão grandioso como atleta, nada mais natural que fazer uma ligação dele a um outro homem tão grandioso dentro do Brasil. E não poderia ser outro. Roberto Carlos! Costuma-se dizer que há quatro pessoas que qualquer brasileiro conhece: Xuxa, Sílvio Santos, Pelé e Roberto Carlos. E é fato ainda que, dentre estes, alguns deles alcançaram fama internacional. Pelé, como o maior futebolista de todos os tempos, é famoso em, praticamente, todos os países do mundo. Roberto Carlos, também o é, alcançando um sucesso extraordinário em países longínquos e distantes do Brasil.

Já nos anos 60, quando os reis iniciavam suas carreiras, a imprensa brasileira fazia a ligação dos dois. E não foi diferente nas décadas seguintes. Pelé jogou pela seleção brasileira nas copas de 1958, 1962, 1966 e 1970. Na primeira, em 1958, ele já foi chamado, por franceses, de rei do futebol. Ao mesmo tempo, naquele mesmo ano, Roberto Carlos já começava a tentar a sorte em boates pelo Rio de Janeiro, e, pouco tempo depois, gravaria duas canções, que fariam parte de um 78 rpm. O primeiro, de muitos lançamentos de Roberto. Naquele ano de 1958, o Brasil ganhou duas vezes. Ganhou a copa e ganhou um novo cantor. Mas não qualquer um, e sim, aquele que seria o maior de todos os tempos. (Foto: Arquivo Revista Veja)

Durante os anos 60, o Brasil descobriu aquele que seria o Rei da música. E no auge do sucesso do garotinho de Cachoeiro do Itapemirim-ES, o outro garoto, de Três Corações-MG, ia a mais uma copa do mundo, a de 1966. Naquela, contudo, o Brasil não saiu vitorioso. Pelé jogou apenas duas das três partidas disputadas pela seleção canarinho. Já o Rei Roberto Carlos, arrebentava com a canção Quero Que Vá Tudo Pro Inferno em todas as rádios, como um dos maiores sucessos de todos os tempos na história da música brasileira.

Em 1969, Roberto Carlos apareceu com uma nova canção, que alavancou as vendas de seu disco, e mostrou que ele não seria esquecido pelo público tão cedo. Foi um grande pênalti que Roberto Carlos bateu, marcando um golaço, com As Curvas Da Estrada De Santos. E foi com um outro pênalti, também em 1969, no dia 19 de novembro, num jogo do Santos (o mesmo das curvas da estrada) contra o Vasco, que Pelé marcou seu milésimo gol. O time do Pelé saiu vitorioso, por 2 a 1, do Maracanã. (Foto: Folha)

Em 1970, Roberto buscava novos rumos para a sua carreira, saindo do rock jovemguardista, e dando um salto para o romantismo, que o consagraria. E naquele ano, Pelé disputou sua quarta e última copa do mundo. Ali, ele pôde mostrar, sob comando do técnico Zagallo, porque era chamado de rei. O Brasil foi tricampeão mundial. No mesmo ano, Roberto Carlos mostrava, no Canecão, porque também era chamado de rei. A sua primeira temporada na famosa casa de shows carioca fez com que muita gente mudasse de opinião a respeito do nosso ídolo, e passasse a admirá-lo como um grande artista que era (e ainda é).

Em 1974, Pelé deixou os gramados. Mas nunca foi esquecido, e até hoje é lembrado como referência e exemplo para muitos jogadores. Roberto, entretanto (e graças a Deus), nunca pendurou as chuteiras. Pelé seguiu trabalhando no futebol, mas, agora, fora dos gramados.
Revista Manchete 1511, de 4 de abril de 1981

1991 foi o ano em que Roberto Carlos fez 50 anos de idade. A Rede Globo homenageou nosso cantor, com um Globo Repórter especial. No programa, várias personalidades mandaram sua mensagem de carinho para Roberto. Dentre elas, estava Edson Arantes do Nascimento, que disse: "Você disse pra mim que estava preocupado em fazer 50 anos. Olha... Eu já fiz, e não dói nada..."

Em 1977, o Rei do Brasil fez um Roberto Carlos Especial dedicado, inteiramente, ao futebol. No programa, recebeu craques como Garrincha e Rivelino. E Pelé não poderia ficar de fora. Com ele, Roberto cantou O Mundo É Uma Bola, composição do jogador. Antes de cantarem, eles tiveram um papo, no qual Pelé disse, justamente, uma frase que caracteriza bem o que fizemos nessa matéria. Foto: Rede Globo.

Pelé: "Você já reparou que a vida de jogador de futebol e de cantor é muito parecida?"
Roberto: "É, mais ou menos igual..."
P: "A gente tem que estar muito bem preparado, precisa de muito treino, né?"
RC: É... Muito ensaio, né, bicho?
P: Pra chegar ao gol...
RC: Ou ao sucesso, né?

Veja o vídeo do encontro dos dois, disponibilizado pelo Site Oficial de Roberto Carlos, sob direitos autorais da Rede Globo de Televisão.

A mais recente aparição dos dois juntos aconteceu no camarim de um show de Roberto Carlos, que Pelé foi assistir. Roberto recebeu o ex-jogador logo depois da apresentação. Antes desse encontro, houve ainda um outro, em 2008, num leilão de gado organizado por Ivan Zurita, presidente da Nestlé e amigo pessoal dos dois Reis. (Foto: Mastrangelo Reino)

Enfim, 1284 gols e 120 milhões de discos vendidos depois, despedimo-nos, com a promessa de voltar na sexta-feira que vem.

Próxima Matéria
Próxima sexta-feira, estaremos de volta, com uma matéria sobre a Amazônia. Esperamos você!

BlogRCB - 26/10/2010
Roberto Carlos quer estrear seu novo jatinho em turnê
O Rei aguarda a entrega da aeronave que adquiriu por U$ 9 milhões
Fonte: O Fuxico

A ansiedade tem tomado conta de Roberto Carlos. Em abril deste ano, ele comprou, pela bagatela de U$ 9 milhões, seu primeiro jatinho, o AeroRei, todo pintado de azul.

Segundo uma fonte de O Fuxico, até agora, a empresa canadense que vendeu o mimo, ainda não fez chegar a aeronave às mãos do cantor. Roberto queria ter iniciado sua turnê a bordo do LearJet, mas ainda não foi possível.

A fonte conta que a expectativa do Rei é que a aeronave fique pronta até meados de novembro, para que ele possa usá-la nas apresentações em São Paulo, que iniciam dia 19 de novembro. Seu desejo era mesmo poder chegar em grande estilo ao show que será realizado no próximo dia 6, em Curitiba. Roberto será a atração principal na comemoração dos 50 anos da RPC, afiliada da Globo. A apresentação será na Praça Nossa Senhora de Salet, e o Rei pretendia chegar ao local a bordo do AeroRei.

2 comentários. Clique aqui para comentar!:

gladys disse...

São o nosso tesouro nacional.!!

Anônimo disse...

Great information! I’ve been looking for something like this for a while now. Thanks!