sexta-feira, 16 de abril de 2010

O Rei nos EUA ! / O Show em Nova York

Não esqueça de ver a galeria de vídeos autorizados, no final dessa matéria.Show em Nova York
Roberto Carlos cantou para 6 mil pessoas no dia 16 de abril de 2010 no Radio City Music Hall. Canções em português, inglês, espanhol e italiano (Champagne). O local estava lotado, e todos cantaram "Parabéns Pra Você" em homenagem a Roberto Carlos, com direito a bolo confeitado com cobertura branca e com detalhes em azul.

A foto acima é exclusiva do Blog *Roberto Carlos Braga*, registrada por Adnélia Santos. As outras fotos do show de Nova York também são exclusivas, e foram obtidas pelo blog através da mais nova repórter Ana Luiza.
NOVA YORK - Um Radio City Music Hall inteiramente lotado cantou parabéns para o Rei Roberto Carlos com direito a um bolo confeitado com cobertura branca com detalhes em azul. O show que comemorou os 50 anos de carreira do cantor começou com 20 minutos de atraso, às 20h20, e terminou às 22h30, depois de três canções com a plateia aplaudindo de pé e pedindo bis. Teve tudo o que se espera de um espetáculo do Rei: as rosas brancas e vermelhas atiradas para a platéia, a entrada ao som de "Emoções", a orquestra do maestro Eduardo Lages, o coro com Ismail e Jurema, e especialmente o repertório de clássicos rasgadamente românticos. Era o mesmo Roberto, todo vestido de branco, e no entanto algo estava diferente: as canções eram cantadas metade em português e metade em espanhol, para delírio da imensa audiência latino-americana que acompanhava para letra de cor.

E o repertório de 26 canções _ incluindo quatro dos tempos da Jovem Guarda que foram lembradas rapidamente em forma de potpourri _ traçou uma especial de biografia musical romântica do cantor. Primeiro "Emoções", "Como é grande o meu amor por você", "Eu te amo", acompanhado com a orquestra, com direito às paradinhas habituais. Desta vez, o maestro, pianista e arranjador Eduardo Lages teve 14 músicos no palco: era então a RC-15, já que o número de músicos muda de acordo com a ocasião. Seis instrumentos de sopro, dois de percussão, um piano, um órgão elétrico, duas guitarras, um baixo elétrico, duas vozes. E Roberto parecia muito à vontade. Brincou com a plateia várias vezes. Sentou-se ao violão para dedilhar "Detalhes" e criar um momento intimista delicadamente acompanhado pela orquestra depois da metade da canção, lembrou os tempos da Jovem Guarda, brindou no palco seu aniversário com champanhe, agradeceu ao público sua espetacular venda de discos ("O que eu disse? Discos? Isso é tão antigo. Se você disser a uma criança hoje que vende discos ela vai perguntar se é disco voador.!") e comentou que os músicos estavam com ele "desde o tempo que tinham tanto cabelo que usavam um topete." Nesta trilha romântica que incluiu "Concavo e convexo", "Eu te proponho" e "Mulher pequena", o climax em especial de luz e de som ficou por conta de "Cavalgada", quando o volume da orquestra chegou ao máximo e os mais de 50 projetores de luz instalados no palco giravam em tons de azul, branco, vermelho e amarelo, além do fundo de pontos luminosos, como um céu estrelado para o palco do Radio City. Pouco antes da pausa para brincar com os músicos, a homenagem à mãe do cantor, "Lady Laura", que ele comentou ter estado no hospital e agradeceu a Deus a recuperação da senhora de 96 anos. Os arranjos de Eduardo Lage alternaram ênfase nos sopros ou nos teclados: sopros para ganhar volume de orquestra, teclados para momentos mais intimistas. As duas guitarras e o baixo elétrico tiveram destaque no arranjo sertanejo de "Mulher pequena". Num som de baladas, altamente melódico, a percussão apenas pontuou o ritmo.Um Roberto emocionado relembrou em seguida momentos de sua carreira, como o Festival de San Remo que ele ganhou com "Cancione per te" ao lado de Sergo Endrigo. E ensaiou uma canção em ingles, "In the mood for love", comentando: "Vou cantar essa canção porque doro a letra, mesmo com o meu ingles de cais do porto". Depois das brincadeiras, Roberto enveredou pela saudade amorosa, contando "Distância" e em seguida um sucesso de Carlos Cardel, "El dia em que me queiras". Tudo, é claro, para delirio da plateia hispânica, com faixas em castellano agradecendo ao Rei sua vinda a Nova York.
Na parada para os parabéns, Roberto chamou a secretária Carminha ao palco, prestando homenagem a uma assitente ao seu lado por mais de 30 anos. E dançou no palco com Jurema, que compõe a dupla do coro vocal ao lado de Ismail. O champagne foi bebericado enquanto ele cantava "Champagne, per brindare un encontro." E ainda fez um público rir quando a velinha do bolo demorou para acender. O repertório terminou com o momento das flores em "Jesus Cristo", seguido de "Amada Amante" e "Quero ter um milhão de amigos", cantada em coro, de pé, pela plateia de quatro andares do Radio City Music Hall. Foi um show emocionado, de forte sotaque latino-americano, rasgadamente romântico, com a marca do Rei, que completa na segunda feira 69 anos. (O GLOBO)
Uma das canções, I'm in the mood for love, o Blog Roberto Carlos Braga, que está fazendo a melhor cobertura da turnê internacional, conseguiu completa pra você curtir ! É só clicar no PLAY.


Acompanhe a letra:

I'm in the mood for love
Simply because you're near me
Funny, but when you're near me
I'm in the mood for love
Heaven is in your eyes
Bright as the stars we're under
Oh, is it any wonder
That I'm in the mood for love?
Why stop to think of whether
This little dream might fade?
We've put our hearts together
Now we are one, I'm not afraid
If there's a cloud above
If it should rain, we'll let it
But for tonight forget it
I'm in the mood for love

Why stop to think of whether
This little dream might fade?
We've put our hearts together
Now we are one, I'm not afraid
And if there's a cloud above
If it should rain, we'll let it
But, for tonight, forget it
Cause I'm in the mood for love
I'm in the mood for love
For love, for love...

Entrevista para o "The New York Times"


Roberto Carlos deu entrevista para o jornal "The New York Times". Na entrevista,além de falar sobre a turnê internacional,em comemoração aos 50 anos de carreira,RC também falou sobre seu gosto musical. Disse que apesar de gostar de todos os tipos de música,o rock sempre esteve presente no seu estilo. Leia, a seguir, a entrevista na íntegra, traduzida pelo Terra, ou confira a matéria completa, no site do Jornal, acessando : www.nytimes.com/2010/04/16/arts/music/16carlos.html

Para o rei do pop brasileiro, aniversário vale turnê

Roberto Carlos vem sendo uma presença tão grande na música pop por tanto tempo que, quando ele surgiu, levava o apelido de "Elvis Presley brasileiro" e chegou a abrir um show de Bill Halley and his Comets em seu país. Mas passados 50 anos, 120 milhões de cópias vendidas e diversas viradas de estilo, ele agora costuma descrito como "o Frank Sinatra da América Latina".

Nenhum músico latino-americano vendeu mais discos que Roberto Carlos, que se apresenta sexta-feira e sábado à noite no Radio City Music Hall, em Nova York, como parte de uma turnê norte-americana que encerra um ano de eventos em comemoração ao seu meio século de carreira fonográfica. Se convidado a explicar o segredo de seu longo sucesso, a resposta indica seu gosto e personalidade camaleônicos.

"Ouço e gosto de todo tipo de música, de bossa nova ao country, e de vez em quando corro riscos", disse o cantor, que completou 69 anos na segunda-feira, em uma entrevista por telefone de sua casa, no Rio de Janeiro. "Mas o rock, aquela batida e aquela instrumentação, sempre faz parte do meu estilo, ainda que agora de maneira um pouco mais suave".

Nascido Roberto Carlos Braga, em uma pequena cidade do interior do Brasil, ele cantou pela primeira vez em uma rádio local aos nove anos de idade. Inspirado por Presley e Little Richard, se mudou para o Rio de Janeiro na adolescência, cantando e tocando guitarra em bandas com nomes como Os Sputniks, até que conseguiu um contrato de gravação como artista solo.

Naquele estágio inicial, como líder do que veio a se tornar o movimento da Jovem Guarda, Roberto Carlos conquistou alguns de seus maiores sucessos com covers em português de sucessos rock e pop norte-americano, canções como Splish Splash, Road Hog, Unchain My Heart, Alley-Oop e The Wanderer. Mas, por volta de 1965, ele começou a se afirmar como compositor dotado de raro senso quanto ao que atrairia o público comprador, em geral trabalhando com um parceiro e colega de banda dos anos de adolescência, Erasmo Carlos Esteves.

A parceria continua até hoje, e resultou em mais de 500 canções, dezenas das quais foram gravadas também por outros artistas. Os críticos brasileiros comparam a dupla a Lennon e McCartney, não só em termos da vasta produção mas pelo contraste em estilo e gosto entre os dois.

"Eles já não convivem tanto, mas existe uma química quase perfeita entre os dois", diz Paulo César Araújo, autor da biografia Roberto Carlos em Detalhes. "Erasmo tem um lado mais pesado, com o rock pulsando em suas veias, e Roberto tende a ser mais suave e romântico".

Na metade dos anos 60, Roberto Carlos também começou a gravar em espanhol, de olho no mercado da vizinha Argentina. Mas, à medida que evoluía como cantor romântico, apreciador de Sinatra e Tony Bennett, e de boleros e outros estilos sentimentais latinos, sua popularidade disparou em toda a região, chegando até ao México e fazendo dele um grande rival de Julio Iglesias.

Desde os anos 70, as mais populares composições de Roberto Carlos, tais como Detalhes, Amada Amante e Café da Manhã, vem sendo baladas românticas, e não rocks como Quero que Tudo Mais Vá pro Inferno, um de seus primeiros sucessos, ainda popular no repertório de bandas punk. Amigo, outro grande sucesso, era uma das canções favoritas do Papa João Paulo 2°, muitas vezes tocada durante suas visitas à América Latina, algo que o cantor considera como especialmente satisfatório. "Sou religioso, sou católico, e gosto de mensagens", diz.

Mas mesmo quando ele canta uma canção animada, sua voz mostra um traço de melancolia. A vida de Roberto Carlos não foi fácil; ele perdeu parte de uma perna em um acidente ferroviário quando criança; seu filho, Roberto Jr., é cego; e em 1999, sua terceira mulher, Maria Rita, a quem ele definia como o amor de sua vida e inspiração de suas mais românticas canções, morreu de câncer aos 38 anos de idade.

Em algum momento dos anos 90, Roberto Carlos também caiu vítima de um distúrbio obsessivo-compulsivo. Isso o impede de cantar alguns de seus maiores sucessos, que contêm palavras que se tornaram tabu para ele, a exemplo de "mal" ou "mentira", e reforçou suas manias de palco, como a de só cantar diante de cenários azuis e sempre se vestir de branco.

Mas em 2004 ele admitiu publicamente o seu problema, revelando a uma revista brasileira que "minhas manias estão me causando desconforto", e anunciando que estava passando por um tratamento. Talvez como resultado, nos últimos anos suas apresentações ao vivo parecem ter recuperado o vigor.

"Sempre me sinto confortável no palco, e nunca pensei que o distúrbio obsessivo-compulsivo me atrapalhasse lá em cima", ele disse, quando perguntado sobre o problema. "É verdade que deixei de cantar algumas canções e que em outras eu evitava certas palavras da letra e tinha de encontrar substitutas. Mas voltei a cantar muitas delas, e espero um dia poder cantar todas".

Seu estilo de vida continua a ser discretíssimo, no entanto, a ponto de ele ter recorrido à Justiça alguns anos atrás para bloquear a publicação do livro de Araújo, alegando invasão de privacidade. O cantor vive em um bairro não muito elegante, perto do sopé do Pão de Açúcar, e evita tão assiduamente comparecer a shows alheios, partidas de futebol e outros eventos que, quando decide sair de casa, a ocasião sempre se torna notícia.

"Sei que, quando saio, sempre vou encontrar o afeto do público, e encaro essa situação com serenidade", diz. "É preciso ver as coisas de maneira positiva. Mas todo mundo gosta de alguma privacidade, de ter sua liberdade, e tento preservar a minha, também".

Antes da turnê de aniversário, o projeto mais recente de Roberto Carlos havia sido uma colaboração com Caetano Veloso em um tributo à bossa nova gravado ao vivo. O show, lançado em CD e DVD, homenageava o compositor Antônio Carlos Jobim. Veloso, fundador do movimento tropicalista, é um artista muito querido da crítica, elogiado por suas tendências vanguardistas e experimentação constante. Isso pareceria colocá-lo em um campo estético distinto, mas sempre menciona Roberto Carlos como uma de suas maiores influências.

Em seu livro de memórias, Verdade Tropical, por exemplo, Veloso define Roberto Carlos como "o rei", e o descreve como "a presença simbólica do Brasil". Também elogia algumas das composições de Roberto Carlos na juventude como tão boas quanto o trabalho dos Beatles ou Rolling Stones, com a diferença de que a banda original do cantor tinha um som mais funk, "mais próximo à Motown ou James Brown do que a um grupo de rock inglês".

Para Roberto Carlos, o projeto de tributo à bossa nova representou um retorno às suas raízes, e aparentava prenunciar nova mudança de estilo. "Foi um marco", disse Nelson Motta, compositor, produtor e escritor que recorda ver o cantor no início da carreira, quando ele era criticado como clone de João Gilberto, o inventor do contido estilo de canto da bossa nova.

"É preciso ser muito bom, ter um talento muito forte, para receber críticas por isso", disse Motta. "É como ser acusado de copiar Pelé quando você joga futebol. Roberto sempre teve aquele temperamento e voz bossa nova, aquela coisa contida, mas porque a bossa nova o rejeitou, decidiu tentar o rock. Ele passou por uma fase ruim, com todos aqueles discos românticos e religiosos, mas agora o vejo revivido e reanimado, e isso me deixa ansioso para ouvir seu próximo disco de composições próprias".

Jantar em Miami
Nosso blog está acompanhando todos os passos do Rei nos Estados Unidos, e vocês já puderam acompanhar por aqui nossa cobertura do show em Miami.

E logo após o show nosso Rei foi jantar com sua equipe e teve a presença de seu filho Dudu Braga e da nora Valeska e da irmã de Maria Rita, Maria Emir e seu esposo. E as imagens desse momento de intimidade foram divulgadas pelo site oficial e você também pode conferir aqui:






Show em Boston

O nosso Rei subiu ao palco novamente na quarta - feira dia 14 agora em Boston para realizar o segundo show da Turnê internacional 2010!

O show como sempre foi um sucesso, o repertório foi o mesmo do show de Miami que você viu em primeira mão aqui no blog, porém foi um show que teve mais letras em português devido ao grande número de brasileiros residentes na cidade.


E as fotos desse show foram publicadas pelo site oficial e você as confere aqui também:






Homenagem

Após o show já na quinta - feira o rei aterrissou em Nova York para receber das mãos de Richard Sanders, presidente da gravadora Sony um quadro com sua imagem e a marca de 100 milhoes de discos vendidos no mundo todo.

O presidente da gravadora ainda destacou a importância do Rei para a música mundial:

"É uma grande honra. Em cinquenta anos este homem atravessou geração após geração e se reinventou com criatividade tanto como cantor, como compositor. Chegou a 100 milhões de cópias e ele apenas está começando. Para nós da Sony Music e para toda a indústria mundial é um fantásitico sucesso"
.

E ainda o comparou a Michael Jackson - rei do pop e a Elvis Presley - rei do rock dizendo que RC é o Rei da música latina e mundial!

Emocionado, Roberto Carlos agradeceu e lembrou de todos que contribuíram para ele atingir esta marca:
"Pra mim é uma emoção, nem sei o que dizer o que sinto neste momento. É um trofeu para mim. O que eu posso é agradecer a todos aqueles que contribuíram para minha carreira. A todos os meus amigos, meus parentes, pessoas que eu amo e a Sony que esteve comigo durante todo este tempo".


Abaixo você vê as imagens desse momento marcante na carreira de Roberto Carlos.









Após receber essa linda homenagem nosso Rei foi jantar com sua equipe, família e amigos incluindo Tom Cavalcanti e sua esposa Patrícia, abaixo o registro desse momento!!


E nós continuamos acompanhando tudo sobre a estadia do Rei nos Estados Unidos!!!

GALERIA DE VÍDEOS (De acordo com a lei brasileira)







Compre CDs e DVDs de Roberto Carlos !

8 comentários. Clique aqui para comentar!:

Anônimo disse...

Emocionante ver esta homenagem da SONY!
Parabéns ao REI ROBERTO CARLOS!
Êle merece todas as homengens,pela vendagem,pelo repertório,mas principalmente pela sua maneira discreta de viver. Quantos exemplos maravilhosos êle passa para a juventude.POR ISTO É UM REI!
Abraços a todos!
Maria Luiza
Maluuu rsrs

Cecilia Mendoza disse...

Hola que tal James....
Como siempre lo he dicho tu blog es el mejor!!! ya que tienes las noticias en tiempo real y nos das con cada reseña mil emociones!!!, fantástico blog!!!!.
seguiré muy al pendiente de cada noticia.
Que la luz Divina de Dios los siga iluminando a todos!!.
Un fuerte abrazo lleno de cariño!!!.

Rosario Mendoza disse...

Amigo James y equipo del blog:
Muchas gracias por tan hermosas fotografías del Rey Roberto Carlos y la información de cada día sobre el tour del Rey Roberto Carlos en USA.
que Dios los bendiga porque me hacen tan feliz.
Un saludo afectuoso de:
Rosario Mendoza

luana disse...

o rei nos eua ,gloria e vida longa ao homem mais romantico do mundo..de pessoas rica,pessoas humildes e de uma pessoa assim como eu.....que deseja tanto conhe4ce-lo pessoalmente , mas e so um sonho..sonhado de vez em quando....me projeto em meu sono ai sim vejo o rei roberto carlos cantando para mim....enfeim sonhos de uma eterna fÂ.......QUE A LUZ AZUL DO UNIVERSO ILUMINE SEMPRE MEU AMADO ROBERTO CARLOS BRAGA....

Derbson Frota disse...

Cada vez que leio reportagens assim me emociono! Viva nosso rei! Que ele possa comemorar muito mais desses momentos, sempre ao lado dessa enorme legião de fãs, que tanto o ama.

Show em quatro idiomas, hein? Muito bom!

Parabéns a quem está cobrindo o evento direto de Nova York, e o blog do nosso amigo James, nos deixando informados sobre essa turnê.


Viva o rei!

Derbson Frota
Tianguá CE

Anônimo disse...

ROBERTO QUERIDO TE ABRAZO MUY PERO MUY FUERTE....TODA MI FUERZA Y MI CORAZON ESTAN CONTIGO...TU FANS.

ELIZABETH disse...

sei o que o roberto esta sentindo com a morte de sua mae.
so quem ja passou por isto sabe... Que DEUS o abençoe neste momomento dificial

ELIZABEH
BELO HORIZONTE

Marilda disse...

Parabéns Roberto Carlos.
Estou lhe enviando um Anjo
Para iluminar seu caminho
para colocar ordem na sua vida,
para você ter sempre a certeza,
de que ele está ao seu lado,
em todos os momentos.
Em qualquer situação,
na sua tristeza e na sua alegria.
E mesmo que você se esqueça dele as vezes,
ele estará sempre do seu lado,
lhe ajudando, lhe dando conselhos,
lhe conduzindo na sua estrada,
as vezes triste, as vezes alegre.
Ele sempre vai dar o melhor de si,
para lhe ajudar, e em troca disso,
ele só quer que você saiba dele,
que acredite nele.
Não precisa saber o nome do seu anjo
basta lembrar dele como uma luz,
a iluminar o seu caminho.
E você pode ter certeza de que ele é assim,
uma imensa luz, que não se apaga nunca,
que não fica fraca,
que jamais perde sua força e seu brilho.
Um lindo anjo para você...
Que você possa contar com ele,
Sempre....sempre..
Abraço de sua fã.