sexta-feira, 6 de março de 2009

Análise De Discos II - 1981 (Em Inglês)

Olá Suditos do Rei Roberto Carlos... Hoje eu (Diego Bachini Lima) vou análisar sobre o disco de 1981 em Inglês, não oficialmente chamado de Honestly por essa ser a primeira música do Disco (nos EUA ele foi lançado com o nome de From Brazil With Love [Do Brasil Com Amor]).
A ideia desse disco é bem antiga. Em 1975, Roberto pretendia entrar em estúdio para gravar um disco em inglês com clássicos da lingua de origem anglo-saxônica. Não sei porque não o fez.
Eu tive a sorte de ganhar esse Lp que vocês veem na foto de uma pessoa que amo muito, mas não está entre nós, meu avô Luiz... Ele conseguiu esse e outros vários LPs do Roberto para mim antes de morrer (Hoje tenho 17 em minha coleção, sem contar um repetido [1972]). Ter esse LP ajudou muito nessa coluna muito dificil de escrever. Só para se ter ideia ela está sendo finalizada na madrugada do dia 06/04/2009, sendo que eu já tinha começado ela a meses.
Perdoem qualquer erro:
Faixas

01. Honestly (Falando Sério)
Maurício Duboc - Carlos Colla (versão: Sue Sheridan)
Consegue até superar na interpretação a original em português. Ela não perde em nada para a letra em português. Consegue ser tão bonita quanto, e muito parecida se traduzida. Os arranjos de Tom Saviano são muito mais bonitos que os do 77 (muito por causa do avanço tecnológico de 77 para 81).

02. At Peace In Your Smile (Na Paz Do Seu Sorriso)
Roberto Carlos - Erasmo Carlos (versão: Sue Sheridan)
A versão é quase uma tradução literal. Muito parecida com a original, chega a ser até mais legal de ficar ouvindo. Os arranjos de Bill Meyers deixaram ela com um certo suingue... Muito bom...

03. Loneliness
Paul Williams - Ken Ascher
A cara do Roberto: 'Solidão ' lembra um pouco Costumes no tema.... A verdade é que os gringos não sabem descrever saudade (rsrs). Isso não quer dizer que a música não é bonita... Longe disso! Ela retrata tão bem o amor (Solidão, o amor como uma canção ou um velho "cliché"), que dá vontade e ouvir a versão em português (que até onde eu saiba não existe [infelizmente]). Ela tem uma melancolia na melodia... Triste, mas não entristece... Seu verso final é lindo: 'O "sim" no nosso "olá" disse "não" à solidão'.

04. Sail Away
Billy Falcon
Navegando. Começa com a orquestra bem leve e um vocal... 'Uhhhhh...', até a entrada de um leve violão (cordas de nyllon se não me engana o ouvido). A sensação e que uma brisa do mar esta lhe tocando o rosto... Quase um minuto passa... Você nem percebe, e ai sim Roberto começa a cantar... A música me parece o estilo do Bob Dyllan (e olha que nem ouço muito). A letra em compensação é a cara do Roberto. É história de um velejador, que quer navegar pelo mundo com seu amor... 'Eu vou pegar você garota e sair mar afora.'

05. Niagara
Marvin Hamlisch - Carole Bayer Sager - Bruce Roberts
Essa foi muito difícil. Não por causa da melodia. Simples e suave, e grande interpretação do Roberto... Mas pela letra de tradução difícil. Mas pelo que deu pra entender Niagara é um lugar onde ele se apaixona por sua amada... Mas pelo visto não deu certo como ele mesmo diz no começo da música. Ele passa a música re-lembrando momentos... e termina falando 'Mas, em Niagara, Nós éramos loucos, então, Faça-me louco novamente.'.

06. Buttons On Your Blouse (Os Seus Botões)
Roberto Carlos - Erasmo Carlos (versão: Julie Saires)
Julie Saires (na única versão não feita por Sue Sheridan) nos revela um grande detalhe da música... A cor da blusa: Branca... Versão muito bem feita... O que mudou ficou tão bonito (e foi tão pouco), que você nem percebe quando ouve. A história todo mundo conhece... Um casal que pouco a pouco vai se despindo, em busca do amor...

07. Breakfast (Café Da Manhã)
Roberto Carlos - Erasmo Carlos (versão: Sue Sheridan)
Na versão em CD o encaixe é perfeito: Sai Buttons On Your Blouse entra Breakfast... A primeira inspirou a segunda... Isso fica tão claro que Roberto canta o final todo de Os Seus Botões em português, no final de Breakfast: 'Nos lençóis macios, amantes se dão/Travesseiros soltos, roupas pelo chão/Braços que se abraçam, bocas que murmuram/Palavras de amor, enquanto se procuram'. No LP (foto) tem de virar do Lado A para o B... Se Buttons On Your Blouse é o início da noite de amor Breakfast é o final da mesma... (Nota do autor: Tendo em vista o quanto essas músicas são conhecidas chega a ser bobo falar todos os detalhes...)
Arranjos são (surpreendentemente) mais suaves que o da versão em Português...

08. Come To Me Tonight
Gary Portnoy - Sue Sheridan
Sue Sheridan que fez 4 das 5 versões do disco, nos brinda com essa música impossível de enjoar. Come To Me Tonight é a cara do Roberto, perfeita para ele cantar. E o mais surpreendente é que não existem músicas parecidas com essa em seu repertório. A mais parecida seria Como Vai Você (por causa do 'Vem que a sede de te amar me faz melhor/ eu quero amanhecer ao seu redor'), mas sem o sofrimento. Come To Me Tonight é um pedido para uma noite inesquecível (talvez a noite de Buttons On Your Blouse e Breakfast).

09. You Will Remember Me (Detalhes)
Roberto Carlos - Erasmo Carlos (versão: Sue Sheridan)
Diferente das outras versões de Detalhes (Detalles e Detagli), You Will Remember Me peca em vários pontos. Primeiro por não ser 'Details'. Depois por simplemente não conter vários detalhes da versão em português. O cabeludo, o ronco do carro, a calça desbotada, infelizmente na versão em inglês, não aparecem nem alterados. Detalhes tem 7 estrofes. You Will Remember Me tem só 5. Detalles (espanhol) e Detagli (italiano) se mantém muito mais fiéis a música original (e são tão bonitas quanto)... Se Detalhes não existisse, You Will Remember Me seria com certeza uma das mais bonitas músicas do mundo... Mas a existência dela faz com que a versão em inglês fique com um gostinho de que faltou alguma coisa...
Os arranjos (de Eddie Karam) são, em compensação, muito mais bonitos (mas muito mais mesmo) que os da gravação em português 10 anos antes.

10. It's Me Again
Doug McCormick - Dennis Smith
Das músicas 'inéditas' do disco, essa é a mais bonita. É a história de um cara que está no inverno americano em Dezembro, e está sozinho desde maio... Ele olha antigas cartas queimando na lareira, fica pensando o que pode fazer, e 'Imagino o que eles estão fazendo em Los Angeles.'... Então ele se pergunta o que ele diria se ligasse para ela, e ela estivesse em casa. "Eu diria que sou eu novamente/ Ligando apenas para dizer que eu nunca mais quero te dirigir a palavra / Depois de todas as coisas ruins que você me fez passar / Quando você me deixou sozinho..."

Ele passa pelo bairro dela só para dizer que está partindo para sempre, e que está muito melhor sozinho...

Os arranjos dessa música (de Tom Saviano) são incríveis... Tem um estilo um pouco menos agressivo que o Big Band de Frank Sinatra. Há momentos (o último é mais evidente) em que a música parece acabar, e de repente volta com tudo! Fantástico!

Semana que vem James vem com uma matéria sobre Roberto Carlos e as Novelas. Você não pode perder.

Abraços a todos

Diego Bachini Lima
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil

Esta matéria pertence ao projetoProjeto RC 50 Anos • Blog *Roberto Carlos Braga* Leia mais sobre esse projeto clicando aqui.

9 comentários. Clique aqui para comentar!:

Anônimo disse...

Que maravilha diego,eu gosto muito deste disco,tenho o Lp,cd do brasil e cd dos Eua, minha preferida é a faixa 4,e parabens vocês estão ficando muito bons nesse negócio de analizar os discos.

Abraços
Carlos Andre
pareinacontramao.zip.net

Everaldo Farias disse...

Amigos,

Esse disco é lindíssimo mesmo e tenho certeza que se Roberto Carlos penetrasse de vez lá no mercado americano, seria um rei, como é aqui!

Gosto dessa última faixa mais que das outras pela sua interpretação, pela melodia, por tudo enfim...

Amigo, gostei muito de sua análise e agradeço porque fãs como eu tem textos tão fascinantes para prestigiar!

Obrigado pelo esforço e pelo excelente resultado!

Blog Música do Brasil
www.everaldofarias.blogspot.com

Um forte abraço a todos!

Vinícius Faustini disse...

Muito interessante a ideia de fazer uma análise mais especial de um texto não muito lembrado na discografia do Roberto. Eu acho alguns arranjos deste disco superiores às "originais" lançadas no Brasil - "At peace in your smile", "Breakfast" e "You will remember me" ficaram primorosas nestas novas leituras de arranjadores.

Um dado curioso: "Niagara" foi gravada também por Barbra Streissand. Alguns disseram que o Roberto gravou melhor que ela.

Eu acho que este disco não aconteceu tanto por causa de uma estratégia que o Roberto Carlos tem com relação aos seus discos. Ele prioriza músicas completamente inéditas. Aqui no Brasil ele tem impacto, mas pro mercado em inglês acho que não teve a mesma repercussão, ele foi meramente "mais um". Creio que o resultado seria diferente se tivesse uma ou outra música mais conhecida na voz dele.

Abraços a todos do RCB,

Vinícius Faustini

www.emocoesrc.blogspot.com

www.diariodeumsalafrario.blogspot.com

www.otempoeoplacar.blogspot.com

Armindo Guimarães disse...

Boa e bem elaborada matéria.

Parabéns ao Diego!

Abraços robertocarlisticos

James Lima disse...

Bem, só hoje, neste exato momento, tive oportunidade de ver a matéria. Por incrível que pareça, nem a supervisão eu fiz. Mas to achando que não seria necessário mesmo...

Diego, rapaz. Gostei demais da sua análise ! Parabéns !

Um Forte Abraço
James Lima
Diretor geral do Blog

Cecilia Mendonza disse...

Hola que tal James:
Mil disculpas pero le tecle mal y se mando el correo sin haberló terminado .
Te decia que fantastica reseña realizo Diego Bachini Lima ese disco en ingles de Roberto Carlos esta genial a Rosario y a mi nos gusta mucho.Aqui en México nunca lo vendierón lo tuvimos que pedir a estados unidos.
Y donde estas James????, ya que te extrañamos tienes muchas tareas de la escuela?? o estas preparandote para ir a Cachoeiro do Itapemirim???.
Espero que estes bien y te esperamos el próximo viernes.
Que Dios te bendiga y te cuide.
Un fuerte abrazo lleno de cariño.

Ocenilda disse...

Muito boa essa crônica do Diego sobre o disco em inglês do Rei que eu, por sinal, também tenho, tanto em LP vinil, quanto em CD. Estou ansiosa para ler a matéria sobre o Rei e as novelas.
Parabéns pela analise feita das versoes inglesas das musicas do Rei nesse disco.
Um grande abraço.

Ocenilda, Verviers - Bélgica

Rosario Mendoza disse...

Amigo James y equipo del blog:
Felicidades Diego Bachini Lima por la explicacion del disco en ingles del Rey Roberto Carlos.
Estaré muy al pendiente del blog.
Un saludo afectuoso de:
Rosario Mendoza

Cecy Mendonza disse...

Hola que tal amigos del blog.
Diego Bachini Lima, fantastico el análise que hiciste del disco en ingles de Roberto Carlos,como describiste la canción Sail Away asi es como yo me la he imaginado esta genial,también nos gusta a Rosario y a mi bastante la canción: It´s Again esta muy bonita.
Seguiré al pendiente del blog.
Un fuerte abrazo a todos.