sexta-feira, 20 de junho de 2008

O meu coração é como um palco - Além da velocidade (1973)

Olá amigos internautas.

Gostaria de expressar que estamos muito contentes com o sucesso que nossa nova série teve junto aos fãs do rei. Isso é muito bom. Tentaremos mostrar acontecimentos relacionados aos shows de Roberto Carlos que não foram contados ainda pelos outros sites que fizeram séries semelhantes. Além disso, tentaremos comentar algo significativo sobre os shows "ignorados" e esquecidos pelos outros sites, como o show Verde e Amarelo, de 1985, e o show Acústico de 2001/2002, embora nada seja concreto, visto que são muito poucas as informações sobre citados shows. E bem, hoje dando continuidade à série O meu coraão é como um palco iremos comentar a temporada de 1973, no Canecão, Além da velocidade.

O show estreou em 14 de novembro de 1973, e durou mais de 6 meses, já que encerrou-se no dia 20 de abril do ano seguinte. O maestro, Chiquinho de Morais, que desde o show anterior tentava substituir alguns músicos, sempre sem sucesso e encontrando a resistência de Roberto Carlos, dessa vez conseguiu: O guitarrista Gato, que acompanhava o rei desde a época da Jovem Guarda, começou a se envolver com o alcoolismo, e com isso, não levava mais tanto jeito para música, como antes. O maestro sugeriu sua saída da banda, Roberto Carlos concordou, assim como todos os outros músicos. O músico saiu contra a sua vontade, mas logo depois ganhou um presente de Roberto Carlos. Curiosamente, Gato ganhou um bar.

O repertório do show era bastante marcante:
  • Pout porri: Se você pensa / As curvas da estrada de Santos / Sua estupidez / Todos estão surdos / Jesus Cristo.
  • À distância
  • Como dois e dois
  • Quando as crianças saírem de férias
  • Traumas
  • O divã
  • Detalhes
  • Desafinado
  • Pout-porri de rock: Blue suede shoes / You can't be back / Hound Dog / Tutti Frutti.
  • Como vai você
  • A deusa da minha rua
  • Sonho Lindo
  • El día que me quieras
  • O show já terminou
  • A montanha
Como se vê, novamente uma música de Elvis Presley no roteiro, porém, dessa vez, inclusa num pout-porri junto com várias outras canções.

O ponto alto do show era a recordação que tinha Roberto Carlos de um acidente sofrido na infância. O show tratava exatamente disso durante as canções Traumas e O divã. No telão, a imagem de um hospital, da perspectiva de quem está deitado numa maca. Roberto relembra o acidente declamando o poema Pássaro cortado em pleno vôo de Carlos Drummond de Andrade.

Como na temporada anterior, vários famosos prestigiaram Roberto nessa nova temporada. E no dia de seu encerramente, Elis Regina e Wilson Simonal subiram ao palco para cantar ao lado de Roberto. Elis cantou As curvas da estrada de Santos e Tutti-Frutti, e foi ovacionada. Ao lado, um registro desse encontro histórico. O rei e a pimentinha. O arquivo em MP3 de Roberto e Elis juntos está nos nossos arquivos, mas não temos permissão para disponiblizá-lo, por ser muito raro.

Gostaria de agradecer as belíssimas mensagens que temos recebido pela seção Contato localizada à direita. Esse blog não é meu, é nosso, e essa colaboração me deixa muito feliz.

Um abraço
De coração,
James Lima - Teresina - PI

6 comentários. Clique aqui para comentar!:

Vinícius Faustini disse...

Vendo este show, eu me digo: "quem mandou ser novo?". Não só pelo repertório luxuoso, como também pela inclusão de músicas que hoje ele não canta há um bom tempo - e tendo participações fantásticas como a de Elis Regina. Obrigado por nos resgatar esta história! E é bom eu aprender a escrever um pouquinho contigo...

Abraços,

Vinícius Faustini

www.emocoesrc.blogspot.com

felipe disse...

Show de bola, mais uma vez!

Que show hein!? Que repertório! Gostei da estória do BAR... Quero um também!rsrs...

Bicho, espero ansioso detalhes sobre o show "Palhaço".

Abraços!

Felipe
do Blog El Rey Roberto Carlos
www.reyrobertocarlos.blogspot.com

Paula (Portugal) disse...

Olá Mascote,
Embora de fugida (estou sem tempo algum) não podia aqui deixar de vir cumprimentar-te e dar-te os meus parabéns por mais esta série que, tal como dizes, está a ser um verdadeiro sucesso.
Este show do Rei de 1973 também, pelo que nos contas, deve ter sido um êxito. Ingredientes não lhe faltaram para que assim fosse.
É bom sabermos sempre mais e mais sobre Roberto Carlos.
Um grande abraço da madrinha!...

Anônimo disse...

Nossa...lindas lembranças!
Um forte abraço,
Leda Martins.

Ocenilda disse...

Parabéns, James, fiquei emocionada com a historia do "Gato" em que o Rei deu-lhe como presente um bar, pelo fato de ja nao mais o poder mantê-lo na banda, pelos motivos que eu desconhecia e que me foram revelados pelo seu blog.
Estou sempre tomando conhecimento de algo que, na época, me tinha escapado, e isso graças a você e ao seu blog maravilhoso. Continue sempre assim.
Um grande beijo.

Ocenilda

Fabiano Cavalcante disse...

muito bom bicho.

Fabiano Cavalcante